Cartoon do Charlie Hebdo sobre o sismo está a indignar os italianos

Italianos ficaram de queixo caído e criticaram nas redes sociais o cartoon do jornal satírico francês sobre o sismo que matou quase 300 pessoas em Itália

O jornal satírico francês Charlie Hebdo - cuja redação foi alvo de um atentado terrorista em 2015, no qual morreram 12 pessoas - publicou na sexta-feira um cartoon sobre o sismo ocorrido em Itália na semana passada, que matou quase três centenas de pessoas.

A imagem mostra um homem e uma mulher feridos, de pé, junto de uma pilha de destroços da qual saem pés. Por cima de cada figura, o nome de um prato típico da gastronomia italiana: 'penne' com molho de tomate, 'penne' gratinado e lasanhas. O título: "Sismo à italiana".

O cartoon foi alvo de duras críticas logo que começou a circular nas redes sociais. "A vinheta que não esperavas. Vale o conceito de que a sátira é livre mas o bom gosto tem limites", escreveu um internauta no Twitter.

Segundo a imprensa italiana, a embaixada francesa em Itália distanciou-se do cartoon, assegurando que não representa qualquer instituição nacional.

Já Sergio Pirozzi, o presidente da câmara de Amatrice, povoação mais afetada pelo sismo, falou ao Corriere della Sera: "como se faz sátira sobre mortos? A sátira é sátira quando faz rir e aqui parece-me que não há nada para rir, visto que há tantos mortos", comentou, assumindo reconhecer "mau gosto" no trabalho.

Nas redes sociais, a hastag "#JeSuisCharlie, que começou a circular após o atentado à redação do jornal francês, foi prontamente substituída pela "#JeNeSuisPasCharlie, mesmo que alguns dos indignados sublinhassem que também a sátira tem direito à liberdade de expressão.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG