Apu é racista? Ator oferece-se para deixar papel

Hank Azaria disse que nunca quis ofender ninguém

O ator Hank Azaria diz estar disposto a deixar o papel de Apu na série Os Simpsons, por causa da polémica sobre o facto de a personagem ser baseada e ajudar a disseminar estereótipos raciais. Em causa, o sotaque e alguns dos dados biográficos da personagem.

Azaria faz parte da série, e dá voz a Apu Nahasapeemapetilon, desde 1990. Mas diz que só nos últimos meses "os seus olhos foram abertos" para a discussão em torno de Apu, através de um documentário protagonizado pelo comediante indo-americano Hari Kondabolu.

No Late Show de Steven Colbert, Azaria disse que acha que é importante dar voz à comunidade do sul da Ásia e à sua experiência: "Quero ver escritores indianos e, do sul da Ásia na sala do autores... incluindo sobre a forma como dou voz a Apu. Estou disponível para me afastar, ou ajudar na transição para algo novo".

O ator disse ainda que nunca quis ofender ninguém: "A ideia de que alguém, novo ou velho, no passado ou no presente, foi vítima de bullying por causa do Apu faz-me ficar triste. Certamente não era essa a minha intenção. Só queria fazer as pessoas rirem".

O filme "The problem With Apu" é um documentário de 2017, de 49 minutos, em que o comediante explora a personagem, salientado que durante anos aquela foi a única representação dos imigrantes e descendentes de pessoas do sul da Ásia na televisão norte-americana. Explora a questão dos estereótipos negativos e até dos insultos que se popularizaram através de Apu.

Recentemente, um episódio dos Simpson abordou esta polémica. No episódio "No Good Read Goes Unpunished", Marge aparece a ler um livro à filha mais velha, numa versão que foi alterada para ser mais politicamente correta, o que motiva um comentário de Lisa que também se aplica à série: "Algo que começou há décadas e foi aplaudido e inofensivo é agora politicamente incorreto. O que é que se pode fazer?" Na imagem seguinte aparece então Apu.

Na altura, Kondabolu considerou que limitar a discussão que o filme gerou à questão do politicamente correto é redutor e que como fã da série estava triste. "Com 'The Problem With Apu", usei Apu e os Simpsons como porta de entrada para uma conversa mais abrangente sobre a reapresentação de grupos marginalizados e por que isto é importante", explicaou no Twitter

Azaria esclareceu que não teve nada a ver com o episódio e que não acha que considera que seja desejável fugir a este debate.

Kondabolu já agradeceu as palavras de Azaria.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG