Anúncios obrigatórios do YouTube vão acabar

Aqueles 30 segundos que não pode passar à frente, antes do vídeo que pretende ver, vão deixar de existir já em 2018

É uma das queixas frequentes dos utilizadores do YouTube, que afeta quem quer ver vídeos sem ser assaltado por publicidade que não pode evitar: os anúncios de 30 segundos do YouTube que são impossíveis de passar à frente. Mas vão acabar, já em 2018, confirmou um representante da Google no programa Newsround, da BBC. O objetivo é trabalhar em formatos que "funcionem bem, quer para utilizadores, quer para anunciantes".

Os longos anúncios do YouTube são motivo de queixa de vários utilizadores e a plataforma prepara-se agora para adotar outros formatos.

Isto porque os anúncios de 30 segundos, de acordo Will Smyth, chefe de media na agência Agenda 21, são "um legado dos tempos da televisão". Assim, é uma forma padronizada de anunciar na TV, mas que "não é a mais efetiva" nos meios online, explica o especialista, citado pela BBC.

"Isto vai encorajar os anunciantes a serem mais criativos na maneira como usam a plataforma. É bom negócio para todos que se pense em 'skippables' [anúncios que se podem passar à frente]. As pessoas não vão ser forçadas a ver publicidade e os anunciantes não precisam de pagar se o utilizador escolher ignorar o seu anúncio", afirma Smyth.

Exclusivos