"Acertar é uma porcaria", dizem Os Simpsons sobre vitória de Trump

No primeiro episódio da série exibido depois das eleições Os Simpsons lamentam por terem previsto o futuro

Os Simpsons parecem não estar nada satisfeitos com o resultado das eleições norte-americanas. No episódio exibido este domingo nos Estados Unidos, o primeiro após as presidenciais, Bart Simpson aparece no início da série a escrever no quadro "being right sucks" (acertar é uma porcaria, em português).

A personagem estaria a referir-se ao facto de Os Simpsons terem previsto, num episódio exibido em março de 2000, que Donald Trump seria um dia presidente dos Estados Unidos.

Como se a mensagem não fosse direta o suficiente, a série publicou a cena de Bart Simpson no Twitter com a mensagem: "Os Simpsons atualizam a previsão de 2000 sobre uma presidência de Trump".

O episódio Bart to the Future, exibido há 16 anos, passava-se em 2030 e mostrava Lisa Simpson como presidente dos Estados Unidos a tentar governar um país cheio de problemas causados pelo presidente Donald Trump.

Após a vitória de Trump nas eleições presidenciais, partes deste episódio foram publicadas nas redes sociais como mais uma das previsões da série de animação norte-americana.

Outra das cenas dos Simpsons tida como uma previsão é a do episódio Trumptastic Voyage, exibido em julho de 2015. Neste episódio, Homer Simpson conhece Donald Trump e o momento em que os dois descem umas escadas rolantes está a ser comparado ao dia em que Trump anunciou a sua candidatura à presidência.

O argumentista deste episódio Dan Greaney afirmou que a história era "um aviso para a América". Numa entrevista ao Hollywood Reporter em março, Greaney disse que o objetivo era criar um cenário horrível, que Lisa Simpson teria de resolver como presidente.

"Precisávamos que a Lisa tivesse problemas que não conseguisse resolver, que tudo corresse da pior forma possível, e por isso é que colocamos o Trump como presidente antes dela", disse o escritor. A ideia foi aceite porque este cenário "era logicamente a última paragem antes do fundo do poço e era consistente com uma visão da América a ficar louca", acrescentou.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG