"A história das eleições" para dormir que James Corden ouviu

James Corden e Benedict Cumberbatch transformaram as campanhas presidenciais e as eleições numa história para crianças. Veja-a

O ator Benedict Cumberbatch participou no programa Late Late Show da CBS, exibido esta segunda-feira, e contou "A História das Eleições Presidências Americanas de 2016". Recorrendo à comédia, o sketch fez uma caricatura das campanhas presidenciais até a este ponto. O conto falou da "Lady" que queria governar o lindo reino chamado América e do vilão, um monstro cor de laranja, que fazia tudo para o impedir.

Representando ao lado de James Corden, o apresentador do programa, Cumberbatch deu vida a um pai que contava uma história para o filho dormir numa noite de tempestade. Na narrativa aparecem as principais personagens do cenário político norte-americano e, apesar de não serem usados nomes, não é difícil identificá-los.

Hillary Clinton é a "Lady que usava um casaco bege, calças beges e sapatos bege". Ela seria a primeira mulher a governar o reino mas, como conta a história, a caminho da Casa Branca perdeu-se numa floresta assustadora.

"Nesta floresta estavam muitos computadores e nos computadores estavam e-mails", diz Cumberbatch, enquanto James Corden se encolhe na cama, com medo. "Mas a Lady tinha poderes especiais para eles desaparecerem". Para onde foram ninguém sabe, acrescenta.

Donald Trump foi representado de uma forma menos simpática. Ele era o monstro de cara e cabelo cor de laranja e mãos de bebé. O candidato comeu os opositores para chegar à liderança do partido e "não se importa com ninguém que não seja parecido com ele", segundo o ator que deu vida ao Dr. Estranho.

A atitude de Trump em relação às mulheres também foi discutida no vídeo. Com medo do monstro, James Corden pergunta ao pai se Trump vai tentar agarrar a sua pussy (gata, em português). O pai não responde.

Quanto ao final da história, Cumberbatch, de 40 anos, disse que ainda é cedo para saber como o conto das eleições vai terminar mas apelou para que todos os americanos votem. O vídeo foi exibido no dia anterior às eleições e mais uma vez referiu a importância do voto nestas eleições.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG