Zimbabué/Eleições: Commonwealth condena a violência

Harare,02 ago (Lusa) - O chefe da equipa de observadores da Commonwealth nas eleições do Zimbabué condena aquilo a que chama de "uso excessivo da força contra civis desarmados" pelas forças de segurança.

Os ativistas de direitos humanos no Zimbabué condenam a repressão militar sobre os manifestantes da oposição na capital, levantando questões sobre se o atual governo é diferente daquele do líder anterior, Robert Mugabe.

O Fórum de ONG de Direitos Humanos do Zimbabué refere que vários soldados foram vistos, no centro de Harare, a espancar e disparar "aleatoriamente" transeuntes que não estavam envolvidos nos protestos de quarta-feira. Três pessoas foram mortas na violência relacionada com as eleições.

Os ativistas contestam aquilo que consideram ser protestos violentos, considerando ilegal a reação do governo, "grosseiramente desproporcional à violência que procuravam conter".

Alguns partidários do Governo acusaram os líderes da oposição de incitar à violência ao declararem prematuramente a vitória nas eleições presidenciais.

Os resultados oficiais ainda não foram anunciados e, ao contrário do que foi comunicado ainda hoje, a comissão eleitoral não confirmou se irá hoje divulgar alguma informação.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG