Taxa de ocupação hoteleira desceu 1,3 pontos percentuais em agosto para 87%

A taxa de ocupação hoteleira desceu 1,3 pontos percentuais em agosto deste ano, face ao período homólogo, fixando-se nos 87%, avançou hoje a Associação da Hotelaria de Portugal (AHP).

A entidade, que compilou estes resultados através da ferramenta AHP Hotel Monitors, concluiu ainda que "por destinos turísticos, Algarve (93%), Costa Azul (92%) e Grande Porto (90%) registaram as taxas de ocupação mais elevadas".

Por categorias, "verificou-se uma variação positiva apenas nas 2 estrelas que tiveram um aumento ligeiro de 0,4 pontos percentuais, face a agosto de 2017", salientou a AHP, em comunicado.

Por outro lado, o ARR (preço médio por quarto ocupado) subiu 6%, para 121 euros. "De realçar, neste indicador, o aumento em todas as categorias, com destaque para as 3 estrelas onde a variação foi de mais 12% face a agosto de 2017", salientou a AHP.

O RevPar (preço médio por quarto disponível) atingiu os 105 euros, mais 4% face a agosto de 2017. "Os destinos turísticos com o RevPar mais elevado foram Algarve (173 euros), Estoril/Sintra (113 euros) e Lisboa (98 euros)", detalhou a AHP.

As diferentes regiões de Portugal registaram comportamentos díspares no mês que é tradicionalmente o mais forte para o turismo nacional.

Zonas como o Minho viram subir a taxa de ocupação (mais 1,2 pontos percentuais) e Coimbra totalizou mesmo um aumento de 5,1 pontos percentuais, as Beiras subiram 2,2 pontos percentuais e Viseu registou um crescimento de 2,6 pontos percentuais, enquanto a Costa Azul viu este valor subir 2,7 pontos percentuais e o Algarve 0,2 pontos percentuais. Neste último caso, a região subiu pela primeira vez este ano.

Já Lisboa desceu 1,3 pontos percentuais e a zona de Leiria/Fátima/Templários caiu oito pontos percentuais, no Porto a queda foi de 0,4 pontos percentuais e no Oeste de 0,5 pontos percentuais.

A zona do Estoril/Sintra registou um decréscimo de 5,5 pontos percentuais, o Alentejo desceu 1,4 pontos percentuais, a Madeira caiu 2,4 pontos percentuais e os Açores 4,5 pontos percentuais.

"Estávamos com alguma expectativa relativamente ao comportamento da operação hoteleira no mês de agosto. Apesar de a TO [taxa de ocupação] ter decrescido, os resultados são globalmente bons. Em termos absolutos, este foi, sem surpresas, o melhor mês do ano. Dos 14 destinos do Hotel Monitor, apenas três (Beiras, Viseu e Leiria/Fátima/Templários) registaram ocupações abaixo dos 80%. No ARR e RevPAR, os resultados continuam a ser bastante positivos, no entanto há a destacar a quebra nos destinos Grande Porto e Oeste", diz Cristina Siza Vieira, da AHP, citada no comunicado.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG