Situação totalmente "tranquila" em Timor-Leste após chumbo a programa do Governo

A situação em Timor-Leste está "totalmente tranquila", sem relatos de incidentes ou problemas em qualquer ponto do país, desde que a oposição aprovou uma moção de rejeição ao programa do Governo, informaram fontes policiais.

"Está tudo totalmente tranquilo e não temos relatos de qualquer problema no território", disse à Lusa Julio Hornay, comandante da Polícia Nacional de Timor-Leste (PNTL).

Depois da votação, e perante alguns momentos de tensão que se viveram no plenário e dentro do complexo do parlamento - sem quaisquer incidentes graves a registar-se - o ministro da Defesa e Segurança de Timor-Leste disse que ia reforçar preventivamente as medidas de segurança.

"A situação está calma, mas vamos preventivamente reforçar a segurança. É uma situação normal", disse José Somotxo, especificando que as instruções foram dadas à polícia e às forças armadas.

Líderes políticos timorenses, incluindo o primeiro-ministro, fizeram um apelo a que a população se mantenha calma.

A moção foi aprovada com o apoio da bancada do Congresso Nacional da Reconstrução Timorense (CNRT) e do Partido Libertação Popular (PLP) - liderados respetivamente pelos ex-presidentes e líderes históricos timorenses Xanana Gusmão e Taur Matan Ruak - e pelos deputados do Kmanek Haburas Unidade Nacional Timor Oan (KHUNTO), que se estreiam no parlamento na atual legislatura.

Exclusivos

Premium

Liderança

Jill Ader: "As mulheres são mais propensas a minimizarem-se"

Jill Ader é a nova chairwoman da Egon Zehnder, a primeira mulher no cargo e a única numa grande empresa de busca de talentos e recursos. Tem, por isso, um ponto de vista extraordinário sobre o mundo - líderes, negócios, política e mulheres. Esteve em Portugal para um evento da companhia. E mostrou-o.

Premium

Viriato Soromenho Marques

Madrid ou a vergonha de Prometeu

O que está a acontecer na COP 25 de Madrid é muito mais do que parece. Metaforicamente falando, poderíamos dizer que nas últimas quatro décadas confirmámos o que apenas uma elite de argutos observadores, com olhos de águia, havia percebido antes: não precisamos de temer o que vem do espaço. Nenhum asteroide constitui ameaça provável à existência da Terra. Na verdade, a única ameaça existencial à vida (ainda) exuberante no único planeta habitado conhecido do universo somos nós, a espécie humana. A COP 25 reproduz também outra figura da nossa iconografia ocidental. Pela 25.ª vez, Sísifo, desta vez corporizado pela imensa maquinaria da diplomacia ambiental, transportará a sua pedra penitencial até ao alto de mais uma cimeira, para a deixar rolar de novo, numa repetição ritual e aparentemente inútil.