Responsáveis da Sanofi acusados de negligência na morte de crianças vacinadas contra dengue

O governo filipino anunciou na quinta-feira que os seis responsáveis da empresa farmacêutica francesa Sanofi Pasteur foram acusados de negligência grave no inquérito relativo à morte de crianças que receberam a vacina Dengvaxia contra o dengue.

Os procuradores filipinos acusam a farmacêutica de "não ter acompanhado ativamente e vigiado" os pacientes após a vacinação, segundo um comunicado do Ministério da Justiça das Filipinas.

A Justiça filipina considerou que os responsáveis da Sanofi atuaram com "negligência grave" no caso que originou a morte de 10 crianças vacinadas e admitiu que outros processos poderão ser abertos.

A Sanofi já manifestou o seu "profundo desacordo" com as imputações criminais feitas.

Entre 2016 e 2017, as escolas filipinas administraram às crianças a vacina Dengvaxia, levando à morte de uma dezena de crianças e provocando uma queda acentuada da taxa de vacinação.

A vacina foi recomendada em 2016 por um grupo de especialistas da Organização Mundial de Saúde, que considerou a primeira vacina contra o dengue como eficaz e aconselhou a sua utilização em países com alta prevalência da doença.

No entanto, o grupo recomendou que a vacina não fosse dada a crianças com menos de nove anos, porque aumentava significativamente o risco.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG