Presidente do Iniciativa Liberal demite-se por causa da página do partido no Facebook

O presidente do partido Iniciativa Liberal (IL), Miguel Ferreira da Silva, demitiu-se na quinta-feira após ter sido tornado público que a conta oficial da IL no Facebook foi em 2014 uma página de apoio a António Costa.

O anúncio da demissão foi feito por Miguel Ferreira da Silva na sua página oficial do Facebook, na qual explica que tomou a decisão por "não se rever na posição" da Comissão Executiva do partido sobre a origem da página no Facebook, defendendo que a conta deve ser encerrada.

"A Comissão Executiva da Iniciativa Liberal deliberou, por maioria, tomar uma posição sobre a origem da página de Facebook do partido - posição esta tornada (...) pública nessa mesma plataforma. Não me revendo nessa posição, manifestei convicta e profundamente que, sendo a Iniciativa Liberal uma plataforma de cidadania ativa e uma alternativa assumida à atual forma de fazer política, deveria assumir todas as responsabilidades com a mesma convicção com que luta, diariamente, por uma maior liberdade política", escreve Miguel Ferreira da Silva.

No entendimento de Miguel Ferreira da Silva, a "direção da Iniciativa Liberal deveria aproveitar esta oportunidade para, sem quaisquer subterfúgios, assumir o erro e dar o exemplo de responsabilidade que sempre exigiu da restante classe política".

"Sou a favor do fim da página. Votei vencido pela convicção inabalável de que o liberalismo implica responsabilidade. Acreditando que não é possível apontar o caminho sem estar disponível a percorrê-lo, apresentei a minha demissão, por não me rever na posição aprovada pela direção do partido", sublinhou.

A agência Lusa tentou hoje, sem sucesso, contactar com Miguel Ferreira da Silva.

No seguimento da demissão, foi colocada também na quinta-feira uma mensagem na página do Facebook do Iniciativa Liberal na qual é explicada a origem da conta na rede social.

"Desde fevereiro de 2016 que a nossa presença nas redes sociais tem a designação de Iniciativa Liberal (IL). No caso do Facebook, esta presença foi estabelecida a partir de uma já existente, resultante de uma iniciativa cívica de apoio individual a António Costa a secretário-geral do PS em agosto de 2014, por parte de um dos futuros fundadores da IL", é referido.

Na nota, é salientado que a "presença original no Facebook teve alguns meses de existência onde recolheu pouco mais de quatro mil seguidores, deixando de ser atualizada no primeiro semestre de 2015 por divergências profundas do criador da página com o projeto de António Costa e na forma como chegou ao poder".

"Voltaria a ser recomeçada e renomeada para IL no início de 2016, cogerida por pessoas que procuravam em Portugal um espaço de discussão sobre liberalismo político, social e económico. (...) Quando no final de 2016 os membros fundadores do que viria a ser a Associação IL tiveram conhecimento da origem da página, estiveram de acordo que essa era uma informação irrelevante na sua decisão de fazerem parte deste projeto, preferindo manter os contributos e ideias recebidas como IL", é explicado.

Na nota é destacado que nunca houve "intenção de ocultar a origem da página, estando esta visível para quem a quiser consultar".

"Não são uns meses em 2014 que nos definem, mas o que fazemos desde 2016, mantendo desde então presenças no Twitter e Instagram, onde somos dos partidos mais ativos e inovadores. Iremos em breve criar uma nova presença em Facebook para o partido, para que seja clara a nossa evolução e preparando-nos para os futuros ciclos eleitorais", é destacado.

O Tribunal Constitucional autorizou o pedido de constituição do partido Iniciativa Liberal a 19 dezembro de 2017, tornando-se assim o 22.º partido político português.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG