Polícia ganesa detém oito homens suspeitos de pertencerem a movimento separatista

Acra, Gana, 06 mai 2019 (Lusa) - Oito homens foram detidos no Gana sob suspeita de pertencerem a um movimento separatista que pretendia declarar independência de uma região ganesa durante esta semana, anunciou hoje a polícia daquele país.

Segundo o comunicado divulgado hoje pela polícia do Gana no seu portal 'online', as autoridades acreditam que os detidos são os líderes do grupo separatista "Homeland Study Group Foundation", que pretende a independência da "Togolândia Ocidental".

As detenções deram-se no domingo, durante uma reunião do grupo em que este planeava declarar a independência da "Togolândia Ocidental" em 09 de maio.

Durante a operação, as autoridades recolheram indícios como uma Constituição, um emblema nacional e um hino, todos eles desenvolvidos para a "nação" que planeavam criar.

A polícia refere também que o grupo realizava recrutamento ilegal e treino de jovens sob um "estilo de milícia" para que estes formassem o núcleo das forças armadas e de segurança da "Togolândia Ocidental".

O grupo Homeland Study Group Foundation foi formado em 1994 e anuncia-se como um defensor dos direitos do povo do leste do Gana, parte do país que consideram ser a "Togolândia Ocidental".

Em 2017, vários líderes do grupo foram detidos e notificados para não participarem em atividades contra o Estado.

O porta-voz do grupo, George Nyakpo, condenou as detenções, considerando que o mundo não deve vê-los como "problemáticos".

"Temos sido pacíficos (...) o mundo não deve ver-nos como problemáticos", disse o porta-voz, citado pela agência France-Presse.

A região em causa, Volta, é composta por várias etnias, tendo sido colonizada por três nações europeias: Alemanha, França e Reino Unido.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG