PJ detém casal suspeito de burla com imóveis no Algarve

A Polícia Judiciária (PJ) deteve um advogado e uma consultora imobiliária que são suspeitos de seis crimes de burla qualificada com imóveis no Algarve, cujos montantes rondam os 200 mil euros, foi hoje anunciado.

Em comunicado, a PJ adianta que a mulher e o homem, de 45 e 44 anos, alegadamente, aliciavam clientes a investir no ramo imobiliário, através da aquisição de imóveis em leilão, fazendo crer que conseguiam elevados lucros com a sua posterior venda.

"Desta forma, conseguiam que as vítimas entregassem grandes quantias em numerário, contra a entrega de cheques pré-datados como garantia, sem nunca terem conseguido obter o retorno do dinheiro aplicado", lê-se na nota.

Os crimes terão sido praticados entre finais de 2017 e o início de 2018, "envolvendo montantes que rondam as duas centenas de milhar de euros", acrescenta a PJ.

Tanto o advogado como a consultora imobiliária, detidos no âmbito de uma investigação tutelada pelo Ministério Público do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Faro, vão ser presentes ao tribunal para primeiro interrogatório.

Exclusivos