ONU rejeita decisão da Guatemala de terminar atividade da Comissão contra Impunidade

O secretário-geral da ONU, António Guterres, "rejeitou energicamente" na segunda-feira a decisão da Guatemala de pôr termo às atividades da Comissão Internacional contra a Impunidade na Guatemala (Cicig) e espera que esta continue ativa até setembro.

"O mandato da comissão termina em 03 de setembro de 2019. Até essa data, esperamos que o Governo da Guatemala cumpra integralmente com as suas obrigações legais em virtude do acordo", salientou o responsável num comunicado.

Guterres reagia assim à decisão do Presidente da Guatemala, Jimmy Morales, de dar por terminado o acordo, conforme o anunciado hoje na sede das Nações Unidas a ministra dos Negócios Estrangeiros, Sandra Jovel, depois de uma reunião com o secretário-geral.

Jovel disse aos jornalistas que os funcionários da ONU "deverão entregar as suas capacidades às entidades competentes" e abandonar a Guatemala.

"Depois de 16 meses de espera por uma solução conciliadora e com o objetivo de restaurar as garantias dos direitos humanos e as garantias constitucionais do sistema de justiça guatemalteco e num prazo de 24 horas depois receber a notificação que hoje disse ao secretário-geral, o Governo" dá por terminado o acordo, afirmou a chefe da diplomacia de Guatemala.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG