Moçambique/Autárquicas: jornalista ameaçado de sequestro após divulgar resultados

Um jornalista foi ameaçado de sequestro por desconhecidos, depois de ter divulgado resultados das eleições autárquicas no interior de Moçambique, anunciou hoje uma organização de defesa da liberdade de imprensa.

"A ameaça obrigou o jornalista a refugiar-se em lugar até aqui desconhecido" e de onde estabeleceu contacto telefónico com o Instituto de Comunicação Social da África Austral (MISA, sigla inglesa), organização que denunciou a situação, em comunicado.

Aparício José de Nascimento, editor do semanário Malacha, publicado na vila de Moatize, província de Tete, começou a receber ameaças desde a madrugada de quinta-feira, depois de publicar na página Facebook do jornal os resultados de todas as mesas de votação na autarquia de Moatize.

Segundo referiu, estariam a circular, "num grupo restrito de Whatsap, informações segundo as quais ele deveria ser sequestrado".

O Jornal Malacha divulgou também um vídeo sobre abandono e vandalização de 'kits' de votação na vila de Moatize.

"De acordo com a lei eleitoral, uma vez assinados, após a conclusão do apuramento na mesa de assembleia de votos, os editais tornam-se informação pública, ou seja, acessível a qualquer cidadão", sublinha o MISA.

A organização considera que o caso representa "uma grave ameaça" à liberdade de imprensa e apela às autoridades para que intervenham.

As eleições autárquicas de Moçambique decorreram na quarta-feira e os resultados de cada um dos 53 municípios estão a ser divulgados a conta-gotas, com a Frente de Libertação de Moçambique (Frelimo) a manter o domínio do mapa, mas com sinais de que a Resistência Nacional Moçambicana (Renamo), principal partido da oposição, pode ganhar terreno.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG