Marca única para festivais de caminhadas do Algarve trouxe resultados animadores

A Algarve Walking Season, criada em 2018, permitiu juntar três festivais de caminhadas da região -- Alcoutim, Ameixial e Lagos -- numa só marca e alcançar resultados animadores na promoção do interior como destino para turismo de natureza, considerou a organização.

João Ministro pertence à Cooperativa para o Desenvolvimento dos Territórios de Baixa Densidade (QRER) - que em 2013 criou o festival do Ameixial, no concelho de Loulé - e explicou qual foi o ganho de pôr de pé, com a Região de Turismo do Algarve (RTA), a AWS [sigla para Algarve Walking Season, designação inglesa para Temporada de Caminhadas do Algarve].

"A marca Algarve Walking Season ainda é recente, foi criada no ano passado, em 2018 foi o primeiro ano em que esteve a funcionar como marca agregadora dos vários festivais [de caminhadas], este é o segundo ano, mas, por aquilo que já nos apercebemos, os resultados são interessantes", afirmou João Ministro.

O dirigente da QRER foi um dos anfitriões de uma viagem de dois dias para jornalistas iniciada hoje para promover a edição de 2019 da AWS - que começou também hoje com o Festival de Caminhadas de Alcoutim, que se vai prolongar até domingo - e justificou o impacto positivo da criação da marca para promover o Algarve como destino para turismo de natureza, em época baixa.

"Conseguimos fazer com que, ao longo do ano, haja vários motivos de visitação do Algarve para vir fazer caminhadas e conseguimos que os festivais não se atropelem, de alguma forma, e trabalhem em conjunto, espaçados no ano, para criar um calendário atrativo", argumentou, sublinhando que Alcoutim realiza-se no Inverno, o Ameixial na Primavera e o de Lagos já no outono.

O apoio da RTA fez, segundo João Ministro, "que as entidades públicas agarrassem logo" a iniciativa e que, "também, lentamente, se consiga prover o destino Algarve para caminhadas de uma forma integrada".

A colaboração entre os três festivais para a criação da AWS pode, no próximo ano, "vir a aumentar" e "ter também Monchique", avançou João Ministro, remetendo mais pormenores para o futuro, porque em 2019 apenas Alcoutim, Ameixial e Lagos vão compor a temporada.

"Mas sempre na mesma lógica, de cada festival acontecer numa época do ano, com temáticas diferentes, ainda que o essencial sejam as caminhadas, e sobretudo com uma abordagem promocional conjunta para que possamos de facto comunicar melhor lá fora e estar sempre a promovê-los", acrescentou.

A mesma fonte salientou que "há um público cada vez maior" e com "mais interesse por estas atividades de caminhadas", e os festivais incluem atividades para todos os públicos, porque participa nestes eventos "um leque muito diversificado" de pessoas, que vão "desde famílias, a caminhantes profissionais, a entusiastas do património cultural ou desportistas", exemplificou.

"E permite mostrar que o interior do Algarve tem imenso potencial para este tipo de atividade, que o Algarve não é só sol e praia, que tem aqui uma riqueza interessante para explorar um interior que permite atrair visitantes fora da época alta", disse ainda João Ministro.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG