Lucro da Continental Pneus Portugal sobe 6% para 940 mil euros em 2018

Porto, 24 abr 2019 (Lusa) -- O lucro da Continental Pneus Portugal (CPP) aumentou 6% para 940 mil euros, em 2018 face a 2017, dinamizado pelo mercado de substituição, tendo o mercado de equipamento de origem registado uma contração que penalizou a faturação.

Citado num comunicado, o diretor geral da CPP refere que a quebra registada no ano passado no volume de negócios -- as vendas líquidas recuaram de 71,916 milhões de euros em 2017 para 58,756 milhões de euros em 2018 - resultou "sobretudo da redução do negócio no mercado de equipamento de origem, destinado às linhas de produção automóveis nacionais".

"Contudo, o desenvolvimento positivo do negócio no mercado de substituição influenciou os resultados alcançados em 2018", acrescenta Pedro Teixeira.

No exercício passado, a Continental Pneus Portugal destaca a "excelente 'performance'" da divisão de 'Specialty Tires', que alcançou "um novo máximo histórico" nas vendas devido à "forte expansão do portfólio de produtos da empresa, nomeadamente nas novas áreas de 'earthmoving' e agro".

Segundo Pedro Teixeira, o mercado de pneus em Portugal continua num "estágio avançado de maturidade, não se registando grandes variações de vendas, o que promove uma forte concorrência em toda a cadeia de valor".

De acordo com dados da European Tire Rubber Manufacturers Association (ETRMA), avançados pela CPP, em 2018 registou-se no mercado de substituição em Portugal um crescimento de 3,1% nas vendas de pneus ligeiros, comerciais e 4x4, que compara com a evolução de 7,6% ocorrida entre 2014 e 2018.

As marcas 'premium' representaram 49% do volume total de vendas em 2018, sendo a liderança ocupada pelas segundas linhas, enquanto o segmento de pneus UHP (Ultra High Performance, pneus com jante igual ou superior a 17 polegadas) -- apontado como o que "apresenta maior potencial de crescimento nos próximos anos" - cresceu 2% face a 2017, contra 28% entre 2014 e 2018, e representou 25% das transações totais de vendas de pneus ligeiros em Portugal.

Segundo a CPP, "o crescimento registado fica a dever-se sobretudo ao facto de os construtores automóveis apostarem cada vez mais em jantes com dimensões superiores nos novos modelos, o que influencia a tendência de crescimento".

No que se refere ao mercado de pneus para veículos comerciais e pesados, verificou-se em 2018 uma inversão da tendência de recuperação que se vinha a registar desde 2013, com uma quebra de 10,8% face a 2017, o que afetou também o desempenho da Continental neste segmento, apesar do ganho de quota de mercado conseguido.

De acordo com o diretor geral da Continental Pneus Portugal, esta quebra "ficou a dever-se ao arrefecimento das intenções de compra por parte das grandes frotas nacionais, que viram os seus custos operacionais serem bastante afetados pelo aumento significativo do preço do combustível e da falta de mão-de-obra".

Já nos segmentos 'quality' e 'budget', a CPP aponta uma "performance de vendas bastante positiva" das marcas do grupo, "beneficiando dos investimentos realizados pela empresa ao nível do desenvolvimento do produto e da estratégia por canal".

No mercado de pneus agrícolas, 2018 foi novamente um ano de crescimento, beneficiando de condições climatéricas mais favoráveis a esta atividade.

No ano passado a Continental Pneus Portugal diz ter mantido o foco no crescimento da sua rede própria ContiService, prevendo chegar ao final de 2019 com cerca de 100 pontos de venda.

Para 2019, as previsões da CPP apontam para "uma evolução em linha com os resultados alcançados no ano anterior", prevendo-se, no mercado de pneus para veículos ligeiros, a continuação do crescimento verificado nos últimos anos do segmento UHP.

"No mercado de pneus para veículos pesados a Continental acredita que haja uma estabilização dos volumes depois da quebra verificada em 2018, refletindo uma maior contenção no investimento na renovação das frotas e uma maximização dos veículos existentes", refere a empresa.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG