Lojas Aqui é Fresco crescem 5% na faturação em 2018 para 380 ME

Lisboa, 01 jun 2019 (Lusa) -- A rede Aqui é Fresco, 'master franchising' de retalho alimentar com 809 lojas, fechou 2018 com uma faturação de cerca de 380 milhões de euros, mais 5% face a 2017, uma evolução que deverá repetir-se este ano.

Em declarações à Lusa, o diretor-geral da central de serviços Unimark -- que agrupa 25 empresas de cash&carry --, João Vieira Lopes, explicou que esta rede de lojas resulta da junção de um conjunto de comerciantes independentes que já eram clientes e apoiados por esta associação de grossistas.

Em 2017 foi constituído o 'master franchising' que começou a organizar as lojas para que tivessem uma marca, uma imagem e atividades de marketing comuns, ainda que os comerciantes permaneçam independentes.

João Vieira Lopes sublinhou que, no corrente ano, "o ritmo de crescimento está ao nível de 2018 em torno dos 4% a 5%".

Embora lembrando que, neste tipo de comércio, há uma grande dependência sobre o comportamento do verão e do Natal, o diretor-geral da Unimark não tem dúvidas que "em condições normais a tendência será para manter este nível de crescimento até ao final do ano".

Segundo o mesmo responsável, no conjunto as lojas representam 110 mil metros quadrados de área de venda e são responsáveis por cerca de 3.800 colaboradores.

Questionado sobre o plano de expansão da marca, João Vieira Lopes afirmou que "este ano é dedicado à consolidação do projeto, sendo que o grande objetivo é aumentar o número de lojas a operar já com a insígnia Aqui é Fresco".

A expectativa é conseguir a reconversão de entre 50 a 100 lojas, ao longo de 2019, que se juntarão às atuais 155 que já têm uma identidade comum.

No que se refere a novas aberturas, o diretor-geral da Unimark admitiu não pensar em "aumentar muito mais. No máximo, serão entre 10 e 20 novas lojas este ano", cujas localizações serão sobretudo no sul do país onde a marca ainda tem uma presença mais fraca. A primeira loja no Algarve só foi inaugurada este ano.

Ao longo deste ano a marca pretende implementar uma evolução em termos de sistema informático, assim como a adoção de cartões de fidelização e, ao mesmo tempo, está a estudar "a generalização da entrega ao domicílio que grande parte das lojas já fazem por iniciativa própria", acrescentou.

Numa altura em que os grupos que atuam na grande distribuição estão a apostar nas lojas de proximidade, João Vieira Lopes acredita que a marca Aqui é Fresco faz a diferença por "ter um posicionamento que assenta em ter um preço de prateleira competitivo mesmo com a concorrência das grandes cadeias organizadas".

A partir de domingo e até segunda-feira, decorre, no Altice Forum Braga, a convenção anual do Aqui é Fresco, com o objetivo de apresentar a evolução e objetivos do projeto.

Vieira Lopes referiu que são esperadas 1.500 pessoas e estarão presentes cerca de 700 dos 809 membros da rede de lojas. Durante o evento haverá uma área de exposição chamada "míni-Alimentaria" com 90 'stands' de marcas da indústria como Nestlé ou Unilever para apresentar novos produtos ou ações promocionais para os retalhistas.

Um dos momentos da convenção será a tradicional homenagem a uma empresa e a um gestor português, o que segundo Vieira Lopes serve "para valorizar a indústria e o que é fabricado em Portugal".

Este ano, a homenagem vai ser dedicada à Lactogal e ao seu histórico presidente, Casimiro de Almeida.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG