Jovem artista Hugo Guerreiro venceu terceira edição do Prémio Paula Rego

A obra "Monstruosamente inconformado", de Hugo Guerreiro, é a vencedora da terceira edição do Prémio Paula Rego, ao qual concorreram 34 obras de alunos da Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa (FBAUL), foi hoje anunciado, em Cascais.

O vencedor do galardão, realizado em parceria com a FBAUL, foi anunciado numa cerimónia na Casa das Histórias Paula Rego, com a presença do filho da artista, o realizador Nick Willing.

"Monstruosamente inconformado" é uma obra em carvão sobre papel, com dimensões de 98 por 63,5 centímetros, representando uma enorme figura negra com traços humanos, de boca muito aberta e olhos fechados.

A exposição com as obras concorrentes de alunos da FBAUL tinha sido inaugurada em 13 de dezembro, e ficará patente até ao próximo dia 24.

O concurso, em terceira edição, resultado de um convite que Paula Rego fez à FBAUL, "irá ter continuidade em 2020, alargado a outras instituições de ensino artístico, ainda a serem consideradas", indicou à agência Lusa a coordenadora da Casa das Histórias, Catarina Alfaro.

A exposição tem curadoria de Catarina Alfaro, e a seleção de obras dos alunos foi feita pela própria Paula Rego, artista portuguesa radicada em Londres, sendo o valor do galardão de mil euros.

A obra escolhida entrará na coleção da artista.

Trata-se do terceiro ano consecutivo da realização do prémio, e o último dedicado exclusivamente aos alunos da FBAUL, de acordo com a organização.

Um dos acontecimentos mais marcantes da vida de Paula Rego foi, segundo tem afirmado a artista, o prémio que lhe atribuíram na competição anual SummerComposition, enquanto ainda estudante da Slade School of Fine Art, em Londres, em 1954.

Esse reconhecimento determinaria o seu empenho na construção de um território figurativo pessoal, partindo da literatura para a criação pictórica.

Paula Rego tem vindo a afirmar em diversas ocasiões que este prémio lhe deu a confiança necessária para continuar a pintar num contexto que não lhe era favorável, por ser mulher e por não ser britânica.

Foi ao recordar aquele impacto na sua carreira que decidiu instituir, no museu dedicado à sua obra, o Prémio Paula Rego.

Trata-se fundamentalmente de um prémio de aquisição --- passando a obra premiada a integrar a coleção privada da artista --- e é atribuído em simultâneo com o lançamento do catálogo da exposição das obras selecionadas.

Na primeira edição, em 2016, a obra escolhida pela pintora Paula Rego para integrar a sua coleção pessoal foi "O Presente/the Gift", de Margarida Lestra Salvador, e Nicoleta Sandulescu foi a vencedora da segunda edição, com a obra "Comeste? Sim, Mãe".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG