VougaPark recebe Universidade Aberta e chega aos seis milhões de euros anuais

O Centro de Ciência e Inovação "VougaPark", criado há cinco anos em Sever do Vouga, ultrapassa já seis milhões de euros de faturação anual e vai acolher um centro da Universidade Aberta, revelou hoje a Câmara.

Segundo a autarquia, responsável pelo espaço que resultou da transformação da antiga Fábrica das Massas Vouga, ao fim de cinco anos o VougaPark conta com 25 empresas instaladas, que empregam 150 pessoas, responsáveis por um volume de faturação anual superior a seis milhões de euros.

Em vésperas de aniversário, que se assinala dia 30, a Câmara de Sever do Vouga anuncia a instalação do Centro Local de Aprendizagem da Universidade Aberta, que segundo a autarquia será "mais um passo na consolidação de uma maior oferta formativa para a região".

"A inauguração de um Centro Local de Aprendizagem da Universidade Aberta vem consolidar a aposta da Câmara Municipal de Sever do Vouga na componente formativa, que teve início em 2015, com a abertura da Unidade de Tecnologias da Escola Profissional de Aveiro (EPA) no Vougapark-Centro de Inovação, sendo este hoje o maior polo da EPA na região de Aveiro", salienta uma nota municipal.

Criado em 2013, no âmbito da estratégia municipal de desenvolvimento económico, o Vougapark-Centro de Inovação transformou antigas instalações fabris desativadas numa incubadora e área de acolhimento empresarial.

Nos cinco anos de existência, aquele centro de inovação tem disponibilizado espaços e serviços para a criação de projetos ligados à metalomecânica, agronegócio, turismo de Natureza e floresta, sendo estas as suas principais áreas de especialização. Entre os serviços e apoios disponibilizados, o destaque vai para os programas de incubação física e virtual disponibilizados aos empreendedores.

Os serviços básicos incluem o acesso a espaços e serviços comuns, a divulgação de informação de interesse empresarial pelos incubados, bem como a promoção de uma rede de parcerias estratégicas.

Os serviços avançados contemplam serviços de gestão (acompanhamento e mentoria de projetos e sessões de capacitação), serviços de marketing (participação conjunta em eventos e iniciativas de destaque, apoio à definição e implementação da estratégia de comunicação e marketing), serviços de assessoria jurídica, apoio ao desenvolvimento de produtos e serviços (propriedade industrial e patentes), e serviços de financiamento (apoio e mediação no acesso a fontes de financiamento, apoio a candidaturas e concursos de empreendedorismo e inovação).

Lusa / Fim

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A Europa, da gasolina lusa ao palhaço ucraniano

Estamos assim, perdidos algures entre as urnas eleitorais e o comando da televisão. As urnas estão mortas e o nosso comando não é nenhum. Mas, ao menos, em advogado de Maserati que conduz sindicalistas podíamos não ver matéria de gente rija como cornos. Matéria perigosa, sim. Em Portugal como mais a leste. Segue o relato longínquo para vermos perto.Ontem, defrontaram-se os dois candidatos a presidir a Ucrânia. Não é assunto irrelevante apesar de vivermos no outro extremo da Europa. Afinal, num canto ainda mais a leste daquele país há uma guerra civil meio instigada pelos russos - e hoje sabemos, como não sabíamos ainda há pouco, que as guerras de anteontem podem voltar.

Premium

Marisa Matias

Greta Thunberg

A Antonia estava em Estrasburgo e aproveitou para vir ao Parlamento assistir ao discurso da Greta Thunberg, que para ela é uma heroína. A menina de 7 ou 8 anos emocionou-se quando a Greta se emocionou e não descolou os olhos enquanto ela falava. Quando, no final do discurso, se passou à ronda dos grupos parlamentares, a Antonia perguntou se podia sair. Disse que tinha entendido tudo o que a Greta tinha dito, mas que lhe custava estar ali porque não percebia nada do que diziam as pessoas que estavam agora a falar. Poucos minutos antes de a Antonia ter pedido para sair, eu tinha comentado com a minha colega Jude, com quem a Antonia estava, que me envergonhava a forma como os grupos parlamentares estavam a dirigir-se a Greta.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

O governo continua a enganar os professores

Nesta semana o Parlamento debateu as apreciações ao decreto-lei apresentado pelo governo, relativamente à contagem do tempo de carreira dos professores. Se não é novidade para este governo a contestação social, também não é o tema da contagem do tempo de carreira dos professores, que se tem vindo a tornar um dos mais flagrantes casos de incompetência política deste executivo, com o ministro Tiago Brandão Rodrigues à cabeça.