Universidades e politécnicos deram mais quatro mil diplomas em 2016/2017

As universidades e politécnicos portugueses deram mais de 77 mil diplomas no ano letivo 2016/17, um aumento de quase quatro mil em relação ao anterior, a larga maioria dos quais no ensino público.

De acordo com números do Ministério da Educação divulgados hoje, foram emitidos 77.034 diplomas, 83,2% dos quais em estabelecimentos públicos, e mais de metade nas áreas de engenharia, indústrias transformadoras e construção, ciências empresariais, administração e direitos e saúde e proteção civil.

Foi na área das tecnologias da informação e comunicação que houve o maior aumento percentual, de 857 para 1.479, (72,6%), enquanto a educação continuou a descer, como acontece desde o ano letivo de 2012/2013, descendo 4,1% no ano letivo passado, de 3.861 para 3.702 diplomas.

Em ciências e engenharias, foram emitidos 22.142 diplomas, mais 5,7% do que no ano letivo anterior.

As universidades conferiram 66,6% dos diplomas e os politécnicos 33,4%, mas foi o setor dos politécnicos que mais contribuiu para o aumento do número de diplomas em 2016/17.

Do número total de diplomados, 61,4% conseguiu uma licenciatura, um aumento de 1,6% em relação ao ano letivo anterior.

Os diplomas em mestrado integrado foram 10,9% do total, menos 1% do que no ano anterior, enquanto os mestrados de 2.º ciclo representaram 20,8%.

Os doutoramentos foram 2,8% do total dos diplomas conferidos, menos 3,2% do que em 2015/16.

Ler mais

Exclusivos

Premium

educação

O que há de fascinante na Matemática que os fez segui-la

Para Henrique e Rafael, os números chegaram antes das letras e, por isso, decidiram que era Matemática que seguiriam na universidade, como alunos do Instituto Superior Técnico de Lisboa. No dia em que milhares de alunos realizam o exame de Matemática A, estes jovens mostram como uma área com tão fracos resultados escolares pode, afinal, ser entusiasmante.