Sintra disponível para acolher Faculdade de Medicina da Universidade Católica

A Câmara Municipal de Sintra disponibilizou-se hoje para assegurar todas as condições necessárias para que a Universidade Católica instale a sua nova Faculdade de Medicina no concelho, sublinhando que o equipamento trará "uma enorme valia social e cultural".

A disponibilidade da autarquia de Sintra (distrito de Lisboa) foi transmitida ao final desta manhã pelo presidente do município, Basílio Horta (PS), a toda a vereação, durante a reunião do executivo, e à reitora da Universidade Católica Portuguesa, através de carta.

No final da reunião, em declarações à agência Lusa, Basílio Horta referiu que a Universidade Católica manifestou interesse em instalar a nova Faculdade de Medicina no "campus de Sintra", na localidade de São Marcos, facto que a autarquia acolheu com "bastante entusiasmo".

"É um projeto que acolhemos com bastante satisfação e entusiasmo. A Câmara estará ao lado da Católica para fazer tudo aquilo for necessário fazer, dentro daquilo que a lei permita, para que a instalação decorra da melhor maneira possível", apontou.

Nesse sentido, o autarca adiantou que o município vai começar "a estabelecer já um sistema de transportes" para servir o local onde irá ficar instalada a Faculdade de Medicina e o Hospital da Luz, no município vizinho de Oeiras, onde os alunos daquele estabelecimento universitário irão fazer a sua formação.

A Faculdade de Medicina vai instalar-se nas antigas instalações da Faculdade de Engenharia, junto ao Tagus Park, desativadas em 2013, devido "a problemas de acessibilidade".

O anúncio da autarquia de Sintra (distrito de Lisboa) surge pouco mais de ano depois de a Câmara Municipal de Cascais ter assinado um protocolo com a Universidade de Maastricht e Grupo Luz Saúde para acolher o mesmo projeto.

Contactada pela Lusa, fonte da Universidade Católica confirmou apenas a intenção de se mudar para Sintra, recusando-se a adiantar mais informações sobre o projeto e os motivos para ter desistido da intenção de se instalar em Cascais.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

A "taxa Robles" e a desqualificação do debate político

A proposta de criação de uma taxa sobre especulação imobiliária, anunciada pelo Bloco de Esquerda (BE) a 9 de setembro, animou os jornais, televisões e redes sociais durante vários dias. Agora que as atenções já se viraram para outras polémicas, vale a pena revistar o debate público sobre a "taxa Robles" e constatar o que ela nos diz sobre a desqualificação da disputa partidária em Portugal nos dias que correm.

Premium

Rosália Amorim

Crédito: teremos aprendido a lição?

Crédito para a habitação, crédito para o carro, crédito para as obras, crédito para as férias, crédito para tudo... Foi assim a vida de muitos portugueses antes da crise, a contrair crédito sobre crédito. Particulares e também os bancos (que facilitaram demais) ficaram com culpas no cartório. A pergunta que vale a pena fazer hoje é se, depois da crise e da intervenção da troika, a realidade terá mudado assim tanto? Parece que não. Hoje não é só o Estado que está sobre-endividado, mas são também os privados, quer as empresas quer os particulares.