Relação entre literatura e filmes em debate no festival de cinema português em Londres

Uma conferência sobre a relação entre a literatura e o cinema que terá João Botelho e Margarida Gil entre os oradores integra o programa da 8.ª edição do festival de cinema português em Londres.

A conferência, que se realiza entre segunda e terça-feira na universidade King's College London, é intitulada "Do texto para a tela e de volta ao texto. Filmes e Literatura - O Contexto Português" e vai discutir diferentes aspetos de adaptação literária para o cinema.

Ao longo dos dois dias, 15 académicos de universidades portuguesas, britânicas e brasileiras vão apresentar artigos sobre o tema da conferência, que é coorganizada com o Centro de Estudos em Língua e Cultura Portuguesa do Instituto Camões na universidade.

João Botelho é convidado no primeiro dia para uma conversa antes da projeção de "Filme do Desassossego", baseado na obra de Bernardo Soares, heterónimo de Fernando Pessoa.

No segundo dia da conferência são convidados Margarida Gil e, mais tarde, Paulo Filipe Monteiro, que vai apresentar o filme "Zeus" sobre a história do sétimo Presidente da República Portuguesa, Manuel Teixeira Gomes.

Além do colóquio com a realizadora e o crítico Kieron Corless, após o filme, a projeção será antecedida por uma leitura de poemas pela tradutora Margaret Jull Costa e por Pedro Mexia.

"John From", de João Nicolau, "Pele", de Fernando Vendrell, e "Muddy River", de Edgar Pêra são os restantes filmes que fazem parte da seleção deste ano.

Este ano, a organização do festival, denominado Utopia, associou-se a outros eventos e salas de cinema para chegar a novas audiências no Reino Unido.

A sessão de "Correspondências", de Rita Azevedo Gomes em 18 de novembro, em Londres, faz parte do Festival Filme de Ensaio, e o "Filme do Desassossego", de João Botelho terá uma sessão adicional em 30 de novembro no cinema FACT, em Liverpool.

O festival, que tem o apoio do Instituto Camões e da Embaixada de Portugal no Reino Unido, associou-se também à Embaixada do Brasil para integrar no programa a apresentação de "Diário de Helena Morley", de Helena Soldberg, em 01 de dezembro.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

OE 2019 e "o último orçamento que acabei de apresentar"

"Menos défice, mais poupança, menos dívida", foi assim que Mário Centeno, ministro das Finanças, anunciou o Orçamento do Estado para 2019. Em jeito de slogan, destacou os temas que mais votos poderão dar ao governo nas eleições legislativas, que vão decorrer no próximo ano. Não é todos os anos que uma conferência de imprensa no Ministério das Finanças, por ocasião do orçamento da nação, começa logo pelos temas do emprego ou dos incentivos ao regresso dos emigrantes. São assuntos que mexem com as vidas das famílias e são temas em que o executivo tem cartas para deitar na mesa.

Premium

João Gobern

Há pessoas estranhas. E depois há David Lynch

Ganha-se balanço para o livro - Espaço para Sonhar, coassinado por David Lynch e Kristine McKenna, ed. Elsinore - em nome das melhores recordações, como Blue Velvet (Veludo Azul) ou Mulholland Drive, como essa singular série de TV, com princípio e sempre sem fim, que é Twin Peaks. Ou até em função de "objetos" estranhos e ainda à procura de descodificação definitiva, como Eraserhead ou Inland Empire, manifestos da peculiaridade do cineasta e criador biografado. Um dos primeiros elogios que ganha corpo é de que este longo percurso, dividido entre o relato clássico construído sobretudo a partir de entrevistas a terceiros próximos e envolvidos, por um lado, e as memórias do próprio David Lynch, por outro, nunca se torna pesado, fastidioso ou redundante - algo que merece ser sublinhado se pensarmos que se trata de um volume de 700 páginas, que acompanha o "visado" desde a infância até aos dias de hoje.