PR timorense assina novo decreto de nomeação membros do Governo, mais duas mulheres

O Presidente timorense assinou hoje um novo decreto de nomeação de membros do Governo que vão tomar posse na terça-feira, ampliando a lista divulgada com a entrada de mais duas mulheres.

O novo decreto, já publicado em Jornal da República, revoga o documento publicado na passada sexta-feira, que apresentava alguns erros, incluindo no título de um dos ministros, e adiciona dois novos elementos ao elenco governativo.

No total são nomeados 21 novos membros do executivo que depois da cerimónia de tomada de posse, marcada para terça-feira perante o chefe de Estado, Francisco Guterres Lu-Olo, na Presidência da República, se vão juntar aos 12 elementos do Governo liderado por Mari Alkatiri, já empossados.

O decreto confirma o título correto de Agio Pereira, militante do Congresso Nacional da Reconstrução Timorense (CNRT, na oposição) e que vai ocupar o cargo de ministro-adjunto do primeiro-ministro para a Delimitação de Fronteiras.

Novidade na lista dos nomeados é a inclusão de Adaljiza Magno como vice-ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação e de Laura Lopes como secretária de Estado da Igualdade do Género e Inclusão Social.

A inclusão das duas elevada para quatro o número de mulheres no Executivo e ocorre depois de vários dias de críticas nas redes sociais sobre o baixo número de mulheres no elenco governativo.

A lista dos novos membros do Governo inclui Mariano Sabino, líder do Partido Democrático (PD), parceiro da Frente Revolucionária do Timor-Leste Independente (Fretilin) na coligação de Governo, que assume a pasta de ministro de Estado e ministro dos Recursos Minerais.

José Reis, secretário-geral adjunto da Frente Revolucionária do Timor-Leste Independente (Fretilin), vai assumir o cargo de ministro-adjunto do primeiro-ministro para os Assuntos de Governação.

Fernando Hanjam, docente da Universidade de Timor-Leste com doutoramento concluído em Aveiro, é o novo ministro da Educação e Hernâni Coelho, que foi ministro dos Negócios Estrangeiros no anterior Governo, assume o cargo de ministro do Petróleo.

A lista inclui outros nove vice-ministros, nomeadamente Mariano Renato Monteiro da Cruz, Desenvolvimento para Obras Públicas, Abrão Oliveira, Desenvolvimento para Habitação, Ordenamento e Ambiente, e Inácio Moreira, que se mantém no Desenvolvimento para Transportes e Comunicações.

José Anuno será o vice-ministro da Administração Estatal, José Neves (candidato presidencial nas últimas eleições e que está ligado ao Partido Libertação Popular, PLP) será vice-ministro da Educação e Cultura e Luís Lobato será o vice-ministro da Saúde.

Apesar de não ser ainda conhecido o ministro da Justiça, o decreto "número dois" Sebastião Dias Ximenes, enquanto Jacinto Gusmão assume o cargo de vice-ministro do Comércio e Indústria, e Deolindo Silva o de vice-ministro da Agricultura e Pescas.

Tomam ainda posse na terça-feira alguns secretários de Estado, nomeadamente Cipriano Ferreira na Agricultura e Pescas, Matias Boavida no Conselho de Ministros e da Comunicação Social, e Osório Florindo da Conceição Costa, no Desporto e na Promoção da Alta Competição.

O novo secretário de Estado da Juventude e do Trabalho é Nivio Magalhães e o secretário de Estado dos Veteranos é André da Costa, conhecido como L4, também militante do PLP.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

"Gilets jaunes": se querem a globalização, alguma coisa tem de ser feita

Há muito que existe um problema no mundo ocidental que precisa de uma solução. A globalização e o desenvolvimento dos mercados internacionais trazem benefícios, mas esses benefícios tendem a ser distribuídos de forma desigual. Trata-se de um problema bem identificado, com soluções conhecidas, faltando apenas a vontade política para o enfrentar. Essa vontade está em franco desenvolvimento e esperemos que os recentes acontecimentos em França sejam mais uma contribuição importante.