Politécnicos e OEI vão reforçar língua portuguesa no espaço ibero-americano

Os Institutos Politécnicos e a Organização de Estados Ibero-Americanos (OEI) assinaram hoje um protocolo para reforçar a presença da língua portuguesa no espaço ibero-americano e contribuir para a triangulação entre os países ibero-americanos e os PALOP.

Assinado pelo presidente do Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos, Nuno Mangas, e pelo secretário-geral da OEI, Paulo Speller, o desenvolvimento do objetivo de reforço da língua portuguesa no espaço ibero-americano realizar-se-á através da disponibilização das valências e das competências existentes nas instituições de Ensino Superior Politécnico.

O protocolo consagra ainda o objetivo de promover o direito à educação, à cultura e à ciência no espaço ibero-americano no contexto da cooperação internacional e para o desenvolvimento, entre outros objetivos.

Um conjunto de programas que já se encontram em desenvolvimento no seio da OEI foram identificados e poderão beneficiar do contributo dos Institutos Politécnicos, sem prejuízo de outros programas, projetos, atividades e iniciativas futuras.

Mobilidade académica, científica e técnica, formação de professores, educação à distância, produção/oferta de recursos, aplicações informáticas e outros conteúdos de apoio pedagógico, políticas culturais e indústrias criativas, redes de ensino, investigação e cultura e intercompreensão linguística foram as áreas prioritárias de cooperação identificadas.

Exclusivos