PCP/Gondomar exige "explicações urgentes" sobre chumbo do TdC a empréstimo

O PCP de Gondomar exigiu hoje à câmara liderada pelo PS "explicações urgentes" sobre o 'chumbo' do Tribunal de Contas (TdC) ao empréstimo solicitado para saldar uma dívida de cerca de 50 milhões de euros da autarquia à EDP.

Em comunicado, a concelhia comunista de Gondomar considera que "são necessários esclarecimentos urgentes" sobre um assunto com "possíveis consequências na gestão municipal".

Em caudas está o pedido de empréstimo para saldar uma dívida que tem mais de 20 anos e que ronda os 50 milhões de euros.

A câmara quer pagar de uma vez 28,8 milhões, sendo a verba restante perdoada pela EDP, conforme explicou em abril do ano passado o presidente da câmara de Gondomar.

Mas o TdC não deu visto ao pedido de empréstimo pedido pelo executivo socialista que, entretanto, já recorreu desta decisão.

"O TdC está a analisar mal a questão e está a pôr em causa a autonomia do poder local. A câmara quer resolver um problema com 20 anos e quer poupar 20 milhões de euros. Não admitimos que não nos permitam resolver algo tão importante para o concelho e para o erário público", disse, em declarações à agência Lusa, o presidente da câmara, o socialista Marco Martins.

Na sua nota, o PCP/Gondomar avança que vai exigir que o tema seja discutido na próxima reunião camarária que se realiza quarta-feira em Jovim.

Confrontado com este pedido do PCP, o presidente da câmara de Gondomar, Marco Martins, reagiu: "E será discutido, não por iniciativa do PCP, mas porque eu já o incluí. Este é um assunto sério demais para se andar com comunicadozinhos", disse.

Exclusivos