PAN de Gaia contra realização do festival Marés Vivas junto a reserva natural

O PAN afirmou-se hoje contra o local da realização do Festival Marés Vivas em Gaia, junto à Reserva Natural do Estuário do Douro, tendo a câmara considerado esta posição na véspera do evento uma "inscrição despudorada na agenda mediática".

Em comunicado, o partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN) recupera algumas das queixas formalizadas há dois anos para apontar o dedo à Câmara de Vila Nova de Gaia sobre o local escolhido para o festival que vai decorrer entre sexta-feira e domingo, lembrando que após este ser "deslocalizado" para a "Seca do Bacalhau", na zona do Cabedelo, ficou a "escassa distância da reserva".

Considerando, por isso, "imprudente a realização do festival" no local, no documento o deputado municipal do PAN, Pedro Ribeiro de Castro argumenta ainda que na Reserva Natural Local do Estuário do Douro (RNLED) "pretende-se, principalmente, assegurar condições de tranquilidade, necessárias à continuidade da avifauna migratória e nidificante e a preservação da vegetação dunar".

Em resposta, a câmara entende que esta posição "na véspera do início do festival, representa apenas uma inscrição despudorada na agenda mediática".

"A RNLED é o local de estada, nidificação e passagem de milhares de aves e onde é possível a observação e identificação de mais de 220 espécies", sublinha a nota de imprensa do PAN, destacando que, apesar de ser uma "pequena reserva de 60 hectares", é um "refúgio ornitológico que faz parte da Rede de Parques de Vila Nova de Gaia, cujo Plano Diretor Municipal prevê a sua integração na Reserva Ecológica Nacional".

Reclamando que a autarquia deveria ter feito "um estudo de impacte ambiental idóneo e independente antes de se decidir por este local para a realização do festival", o PAN identificou, com a realização deste evento, "fatores de risco associados, nomeadamente, o ruído, as luzes, os efeitos eletromagnéticos, a pressão humana e os resíduos".

Neste contexto, o PAN reitera a intenção de "se pronunciar contra o festival no local indicado", insistindo que "a execução da política e das ações de conservação da natureza e da biodiversidade, entre outros princípios, deve ter em conta o princípio da precaução".

"O PAN esclarece que não se opõe à realização do festival, mas sim à escolha do lugar para o efeito", sustenta o partido, esperando que "o sossego da RNLED não perturbe a animação do Festival Marés Viva".

Exclusivos