Mais de 108 mil toneladas de madeira comercializadas através dos parques - Governo

O ministro da Agricultura anunciou hoje, no parlamento, que os parques de madeira, criados para garantir a retirada da madeira dos terrenos ardidos durante dos incêndios de 2017, já comercializaram mais de 108 mil toneladas de matéria-prima.

"Os parques de madeira já permitiram comercializar 108.670 toneladas de madeira", destinada à trituração e à serração, disse Capoulas Santos, durante uma audição parlamentar na Comissão de Agricultura e Mar.

Em resposta ao PCP, o ministro da Agricultura notou que o preços foram "cumpridos e estabelecidos" em conversação com o setor, sublinhando que "as pessoas que beneficiaram de apoios" tiveram que comprovar, através de faturas, a compra da matéria-prima.

"As transações são possíveis de verificação em fatura e respeitam os preços acordados", afirmou.

O governante referiu ainda que podem ter acontecido transações sem fatura, garantindo, porém, que não tem conhecimento de nenhuma e apelando aos grupos parlamentares para que remetam estes casos para o Ministério da Agricultura.

Em janeiro de 2018, o líder do Ministério da Agricultura anunciou um apoio do Governo à criação dos parques de madeira, com um montante global de dez milhões de euros.

"O Governo irá apoiar a criação de dois tipos de parques de madeira. Um, aquele que é a nossa principal prioridade neste momento, dedicado à madeira de serração e, para isso, [será concedido] um apoio financeiro de quatro euros por tonelada aos produtores [...] e um apoio de três euros por tonelada aos parqueadores, desde que, quer no pagamento ao produtor, quer na entrega no parque, sejam respeitados preços mínimos de 25 e 46 euros, respetivamente", referiu, na altura, Capoulas Santos, em declarações aos jornalistas.

O ministro da Agricultura adiantou ainda a atribuição de um montante para a criação de parques para a madeira que se destina à trituração, no valor de um euro e meio por tonelada, até um limite de 250 mil euros por parque.