Lisboa vai acolher conferência 'Velo-city' em 2021

A cidade de Lisboa vai acolher, em 2021, a conferência 'Velo-City', promovida pela Federação Europeia de Ciclismo, depois de Dublin (Irlanda) e da Cidade do México (México), disse hoje à Lusa fonte da Câmara Municipal.

"Lisboa foi a cidade escolhida para organizar o 'Velo-city' 2021", transmitiu o município, apontando que esta conferência "é considerada como a referência em termos de planeamento e promoção do uso de bicicleta, como modo de transporte diário, mas também em atividades de lazer, passando pelas vertentes económica e de saúde".

Depois de Dublin em 2019, e da Cidade do México em 2020, Lisboa acolherá o evento, vencendo Ljubljana (Eslovénia) e Valência (Espanha) na corrida.

Segundo a Câmara Municipal, a capital portuguesa "destacou-se pelo forte compromisso político local e nacional, mas também pelo envolvimento na candidatura da indústria da bicicleta nacional (Portugal é o terceiro maior produtor europeu), e da Academia".

Para o município, "este é também um reconhecimento internacional do trabalho da Câmara de Lisboa na promoção dos modos ativos e do transporte coletivo e um incentivo a prosseguir a estratégia definida neste âmbito até 2021", ano em que a cidade também será Capital Europeia do Desporto.

"Há atualmente mais de 90 quilómetros de rede ciclável em Lisboa e a autarquia prevê chegar aos 200 quilómetros de rede até 2021", refere a nota enviada à agência Lusa, acrescentando que está também a ser preparada a expansão da rede de bicicletas partilhadas Gira a "novas áreas da cidade".

Estas conferências nasceram na cidade alemã de Bremen em 1980 e já decorreram em locais como Copenhaga (Dinamarca), Bruxelas (Bélgica), Barcelona (Espanha) ou Montreal (Canadá).

De acordo com a informação transmitida pela câmara, estes eventos "atraem em cada ano mais de 1500 delegados, sobretudo urbanistas, engenheiros e arquitetos, mas também académicos, estudantes e ativistas pela mobilidade sustentável de mais de 60 países".

Exclusivos

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Uma opinião sustentável

De um ponto de vista global e a nível histórico, poucos conceitos têm sido tão úteis e operativos como o do desenvolvimento sustentável. Trouxe-nos a noção do sistémico, no sentido em que cimentou a ideia de que as ações, individuais ou em grupo, têm reflexo no conjunto de todos. Semeou também a consciência do "sustentável" como algo capaz de suprir as necessidades do presente sem comprometer o futuro do planeta. Na sequência, surgiu também o pressuposto de que a diversidade cultural é tão importante como a biodiversidade e, hoje, a pobreza no mundo, a inclusão, a demografia e a migração entram na ordem do dia da discussão mundial.