'Juntos por Guimarães' critica demora na candidatura das Nicolinas à UNESCO

Guimarães, Braga 29 nov (Lusa) - A coligação 'Juntos por Guimarães' considerou hoje que 13 anos é "claramente tempo a mais" para concluir o processo de candidatura das festas Nicolinas a património imaterial da UNESCO, considerando que "se não há vontade é preciso dizê-lo".

Na habitual conferência de imprensa após a reunião do executivo da Câmara Municipal de Guimarães, o líder daquela coligação, André Coelho Lima (PSD) referiu que "se há questões técnicas, cientificas de análise de quem está responsável pela candidatura que devem levar a uma reponderação, elas têm que ser colocadas".

Em resposta, pela voz da vereadora com o pelouro da Cultura, Adelina Pinto, a autarquia referiu que será apresentado dia 13 um "estudo final" sobre as festas Nicolinas (festa dos estudantes vimaranenses em honra de S. Nicolau, que dura cerca de sete dias e tem como ponto alto a noite do Pinheiro), explicando que não "há nenhuma resposta" por parte da UNESCO desde 2016, data em que foi submetida a candidatura.

"Treze anos é claramente tempo a mais. Se há questões técnicas, cientificas de análise de quem está responsável pela candidatura que devem levar a uma reponderação da parte dele, elas têm que ser colocadas e até hoje não temos conhecimento disso", afirmou André Coelho Lima.

Para o vereador "é frustrante" que desde o anúncio da intenção de candidatar as Nicolinas a património imaterial da Humanidade já existam "quatro ou cinco diferentes realidades classificadas como património imaterial e as nicolinas nem a candidatura submeterem".

"Isto é muito difícil de compreender quando foram a primeira intenção portuguesa", disse.

Coelho Lima defendeu que "é preciso parar, tomar o processo em mãos, perceber o que vai ser feito em concreto. Se não há vontade, se têm duvidas, é preciso dize-lo. Agora estar parado (?) já parece que é um bocadinho de mais".

A autarquia garante que a candidatura será uma realidade: "Depois (da apresentação do estudo] a seguir temos que avançar, ou não, para a candidatura sendo certo que já fizemos a proposta de inscrição no sítio da internet na UNESCO. A seguir a isto a nossa ideia é fazermos efetivamente a candidatura", disse Adelina Pinto.

Segundo explicou a vereadora "a UNESCO está com grandes dificuldades. Há uma série de propostas o qual carece de alguma legislação complementar. Não há nenhuma resposta".

"Da nossa parte o estudo está concluído e pronto para ser editado", referiu.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

Islamofobia e cristianofobia

1. Não há dúvida de que a visita do Papa Francisco aos Emirados Árabes Unidos de 3 a 5 deste mês constituiu uma visita para a história, como aqui procurei mostrar na semana passada. O próprio Francisco caracterizou a sua viagem como "uma nova página no diálogo entre cristianismo e islão". É preciso ler e estudar o "Documento sobre a fraternidade humana", então assinado por ele e pelo grande imã de Al-Azhar. Também foi a primeira vez que um Papa celebrou missa para 150 mil cristãos na Península Arábica, berço do islão, num espaço público.

Premium

Adriano Moreira

Uma ameaça à cidadania

A conquista ocidental, que com ela procurou ocidentalizar o mundo em que agora crescem os emergentes que parecem desenhar-lhe o outono, do modelo democrático-liberal, no qual a cidadania implica o dever de votar, escolhendo entre propostas claras a que lhe parece mais adequada para servir o interesse comum, nacional e internacional, tem sofrido fragilidades que vão para além da reforma do sistema porque vão no sentido de o substituir. Não há muitas décadas, a última foi a da lembrança que deixou rasto na Segunda Guerra Mundial, pelo que a ameaça regressa a várias latitudes.