Idanha-a-Nova lança projeto "Papa São Dâmaso" para reforçar turismo religioso

O presidente da Câmara de Idanha-a-Nova disse hoje que vai lançar o projeto "Papa São Dâmaso", uma nova marca identitária para reforçar o turismo religioso do concelho.

"Vai ser mais uma estratégia para promover o turismo religioso de Idanha. O papa nasceu na 'Civitas Igaeditanorum', cidade romana e depois a visigótica Egitânia, nossa atual Idanha-a-Velha", explicou à agência Lusa o presidente deste município do distrito de Castelo Branco.

Armindo Jacinto explica que este papa é apontado em documentos oficiais da Igreja e por distintos eruditos clássicos e contemporâneos como sendo natural da "Civitas Igaeditanorum".

"Foi este papa aquele que criou a Bíblia, fez de Roma a sede da cristandade e obteve o reconhecimento do cristianismo como religião oficial, sendo o primeiro Pontífice. Idanha pega neste tema para desenvolver ainda mais o turismo religioso no concelho. Nós já tínhamos os Mistérios da Páscoa, mas esta estratégia, em torno desta figura idanhense, vai consolidar ainda mais o turismo religioso", sublinhou.

O autarca disse ainda que foi o papa São Dâmaso que proclamou o culto dos Mártires, celebrando-os com a Epigrafia Damasiana e restaurando as Catacumbas, sendo por isso venerado como padroeiro dos arqueólogos.

"Iniciou o uso das Bulas enquanto expressão legal do poder temporal do papa, criando como seu selo o Anel Papal, e fundou a Basílica de S. Lourenço (in Damaso), onde instituiu os arquivos do Vaticano", frisou.

Na Liturgia, adotou o latim como língua e introduziu o canto dos Salmos, o "Credo", o "Glória" e o "Aleluia".

Deu ainda início à celebração do Advento e à consagração dos festejos do Dia de Natal, através da "Missa do Galo".

Ler mais

Exclusivos