Idai: ONU reforça apoio humanitário às mulheres vulneráveis

A representante do Fundo das Nações Unidas para a População (UNFPA, na sigla em inglês) anunciou hoje o reforço do apoio a mulheres em situação de vulnerabilidade na zona de impacto do ciclone Idai.

Vários relatos têm indicado ataques, incluindo violência sexual, sobre mulheres nas zonas atingidas pelo ciclone pelo que a UNFPA decidiu oferecer cuidados especiais a essas vítimas.

O projeto inclui a instalação de clínicas temporárias com distribuição de 'kits' de maternidade com material hospitalar para assistência de mulheres grávidas e em serviço de parto, explicou Andrea Wojnar.

A ajuda também incluiu formação de ativistas para a sensibilização sobre violência de género, distribuição de "'kits' de dignidade", com itens básicos de higiene e proteção para mulheres e raparigas em centros de acolhimento.

De visita à Beira, a dirigente da ONU reuniu-se no Centro de Acomodação de Peacock com beneficiárias e ativistas e visitou uma tenda com serviços de saúde e proteção de mulheres.

No município do Dondo, a dirigente esteve no Centro de Saúde de Mutua que recebeu um 'kit' de maternidade, com equipamento hospitalar para atender mulheres grávidas e no serviço de parto.

Nessa zona distribuiu 400 kits de dignidade para as mulheres mais necessitadas dos centros de acomodação.

Com o aumento da vulnerabilidade das mulheres, o UNFPA prevê instalar 15 clínicas para serviços de saúde sexual e reprodutiva e atendimento aos sobreviventes de violência baseada no género.

Neste momento, há apenas uma clínica em funcionamento no Centro de Acomodação de Peacock.

Desde o início da resposta ao Ciclone Idai, o UNFPA distribuiu mais de 2000 'kits0 de dignidade, que incluem itens de higiene básica para as mulheres.

Após o ciclone, o UNFPA formou mais de 150 ativistas e líderes religiosos para sensibilizar suas comunidades sobre a violência e os cuidados de saúde.

Exclusivos