Governo quer fazer na floresta "o trajeto de sucesso que a agricultura conheceu"

O ministro da Agricultura, Luís Capoulas Santos, afirmou hoje que o Governo quer fazer na floresta "o processo e o trajeto de sucesso que a agricultura conheceu nos últimos 20 anos".

A reforma da floresta é uma das grandes prioridades do Governo, recordou Luís Capoulas Santos, que falava em Coimbra, na sessão de encerramento do Encontro Nacional de Técnicos da Confederação Nacional de Cooperativas Agrícolas e de Crédito Agrícola de Portugal (CONFRAGRI).

O ministro considerou que a reforma florestal é "um desafio e uma missão" não apenas para este executivo mas para os que o irão suceder, "no horizonte de uma geração".

Segundo o governante, os anteriores governos estiveram "muito concentrados na agricultura" e em criar condições e modernizar este setor, sendo que "a floresta ficou um pouco para trás", reconheceu.

"Por isso, a grande prioridade é a reforma da floresta, que tínhamos começado em 2016", antes dos grandes incêndios de 2017, sublinhou Luís Capoulas Santos, lamentando que a tragédia tenha "relativizado e desvalorizado" esse trabalho que já estava a ser desenvolvido, passando a ser "entendido que era um trabalho que decorria da tragédia de Pedrógão Grande".

O ministro realçou que é necessário "criar condições para que a floresta possa ser profissionalmente gerida", seja a partir de empresas, cooperativas ou outras entidades.

Durante o discurso, Luís Capoulas Santos frisou ainda que as medidas adotadas para dar resposta aos agricultores afetados pelos incêndios foram "a resposta possível, mas foi a maior que alguma vez foi atribuída em Portugal".

"Foi um esforço gigantesco e sem precedentes", vincou.