Gil Vicente começa trabalhos em campo com cinco novidades

O plantel disponível do Gil Vicente, da II Liga portuguesa de futebol, iniciou hoje os treinos no relvado do Estádio Cidade de Barcelos com cinco novidades.

Nanú (ex-Marítimo), James Igbekeme (ex-AD Oliveirense), Jumisse (ex-UD Songo, Moçambique), Alioune Fall (ex-Chaves) e Brayan Riascos (ex-Famalicão), para além dos três ex-juniores promovidos, Bruno Morais, Nuno Lopes e Ebuka Peter.

Devidamente autorizados pelo clube estiveram ausentes desta apresentação os jogadores Luiz Eduardo, Jumisse, Hugo Firmino e Alioune Fall.

O técnico Jorge Casquilha está otimista e diz sentir um "sentimento positivo" neste regresso ao Gil Vicente, 12 anos depois, e está esperançado que seja "uma época bastante positiva".

O técnico reconhece que "o plantel está ainda incompleto pois dentro de dias vão chegar mais reforços".

"Serão jogadores com experiência de segunda liga, para ajudar a potenciar todos estes jovens jogadores que constituem o plantel", explicou o técnico.

Para Jorge Casquilha, o objetivo do Gil Vicente será "ganhar o maior número de jogos possível e lutar para andarmos sempre na primeira metade da tabela classificativa.

"A II Liga é um campeonato muito competitivo, onde tudo se decide nas últimas jornadas, e nós queremos estar na luta até ao fim. Acredito que vamos fazer uma excelente época", concluiu.

Mário Faria, diretor desportivo, referiu que "este plantel é de futuro, pois é constituído por jogadores jovens, com valor, e que pertencem ao Gil Vicente", esperando que todos eles "venham dispostos a ajudar a colocar o clube no lugar que merece".

O dirigente referiu ainda que o clube está "à procura de mais alguns jogadores para satisfazer aquilo que o técnico deseja, mas tudo dentro das possibilidades".

Os treinos continuarão a decorrer em Barcelos até à próxima segunda-feira, altura em que se iniciará o estágio em Ofir, que terminará no dia 08.

Plantel provisório:

- Guarda-Redes: Rui Sacramento (ex. Arouca), Júlio Neiva e Rafa (Gil Vicente-Sub 19).

- Defesas: Ricardinho, Henrique Brito, Luiz Eduardo, Zaidu Sanusi, Vítor Tormentas Farias (ex. São Paulo), Rui Faria (ex. Salgueiros), Andréa Kimpala (ex. Campobasso-Itália), Luís Tinoco (ex. União da Madeira) e Nanú (ex. Marítimo B).

- Médios: Reko, Miguel Abreu (ex. Armacenense), James Igbekeme (ex. Oliveirense), Jumisse (ex. UD Songo-Moçambique).

- Avançados: Hugo Firmino, João Pedro, Jonathan Toro, Issa Baradji (ex. Red Star 93-França), Ulrich N'Nomo (ex. Leiton Oriente-Inglaterra), Alioune Fall (ex. GD Chaves) e Brayan Riascos (ex. Famalicão).

Treinador Principal: Jorge Casquilha

Saídas: Paulinho (Braga), Bruno Silva (Moreirense), Arthur (Limassol-Chipre), Alphonse, Strasser (Génova) e Ragelli (Cruzeiro B.H.).

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

O populismo entre nós

O sucesso eleitoral de movimentos e líderes populistas conservadores um pouco por todo o mundo (EUA, Brasil, Filipinas, Turquia, Itália, França, Alemanha, etc.) suscita apreensão nos países que ainda não foram contagiados pelo vírus. Em Portugal vários grupúsculos e pequenos líderes tentam aproveitar o ar dos tempos, aspirando a tornar-se os Trumps, Bolsonaros ou Salvinis lusitanos. Até prova em contrário, estas imitações de baixa qualidade parecem condenadas ao fracasso. Isso não significa, porém, que o país esteja livre de populismos da mesma espécie. Os riscos, porém, vêm de outras paragens, a mais óbvia das quais já é antiga, mas perdura por boas e más razões - o populismo territorial.