Fraunhofer e Fundação para a Ciência e Tecnologia renovam acordo para I&D em Portugal

A Fraunhofer e a Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) assinam durante o Conselho de Ministros de quinta-feira um memorando de entendimento para expansão da presença e reforço do programa de investigação da empresa alemã em Portugal.

Em comunicado, a Fraunhofer adianta que o acordo a assinar "não só renovará o programa de investigação aplicada em Portugal, como irá servir de base à criação de novos polos dedicados à investigação na área da agricultura de precisão nas universidades de Trás-os-Montes e Alto Douro e de Évora".

Em 2007, a sociedade alemã Fraunhofer-Gesellschaft e a FCT tinham já assinado um primeiro acordo que possibilitou a criação da Fraunhofer Portugal e a constituição do primeiro centro de I&D (Investigação & Desenvolvimento) Fraunhofer em Portugal: o Fraunhofer Portugal AICOS (Fraunhofer Portugal Research Center for Assistive Information and Communication Solutions), que se destacou como "o primeiro centro Fraunhofer na Europa, fora da Alemanha".

O acordo a assinar na quinta-feira visa a expansão da presença daquela que reclama ser a "maior organização de investigação aplicada na Europa em Portugal", com "utilidade direta para empresas privadas e públicas e para a sociedade como um todo".

"Ao longo destes dez anos o Fraunhofer Portugal AICOS tem vindo a afirmar-se como um centro de I&D de referência no panorama nacional, tendo desenvolvido e criado soluções de base tecnológica inovadoras na área das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) com impacto significativo nas populações mais idosas e de zonas rurais e em desenvolvimento", destaca a empresa.

A mais recente aposta da instituição, adianta, passa agora por "explorar a sinergia entre a agricultura e a tecnologia".

"O setor agroindustrial tem vindo a abrir portas a novas tecnologias que permitem o aumento da produtividade, uma utilização mais eficiente dos recursos e maior competitividade. Para dar resposta a este novo paradigma e garantir que Portugal permanece na vanguarda da revolução tecnológica do setor que está a acontecer a nível europeu e global, a Fraunhofer Portugal vai impulsionar uma parceria estratégica que promete servir de estímulo à transformação do setor agroindustrial em Portugal", sustenta.

Criada em 2008 no Porto pela Fraunhofer-Gesellschaft e pela Câmara de Comércio e Indústria Luso-Alemã, a Fraunhofer Portugal é uma associação sem fins lucrativos reconhecida pelo Estado Português como Pessoa Coletiva de Utilidade Pública cuja missão é "promover a investigação aplicada com o intuito de fomentar o desenvolvimento económico e dar resposta a um conjunto de necessidades da população".

Constituído no mesmo ano, o Fraunhofer Portugal AICOS é o primeiro centro de investigação da Fraunhofer em Portugal e resulta de uma parceria estratégica entre a Fraunhofer-Gesellschaft e a Universidade do Porto.

O Fraunhofer Portugal AICOS atua nas áreas do "Ambient Assisted Living" (AAL) e das Tecnologias de Informação e Comunicação para o Desenvolvimento (ICT4D), sendo a investigação ali desenvolvida direcionada prioritariamente para os idosos e as populações de países em desenvolvimento, com vista à criação de "soluções tecnológicas inovadoras e intuitivas e facilitar o acesso às TIC".

"Interação Pessoa-Computador", "Processamento de Informação" e "Computação Autónoma" são as três principais áreas onde o Fraunhofer Portugal AICOS tem competências científicas.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

Compreender Marques Mendes

Em Portugal, há recorrentemente espaço televisivo para políticos no activo comentarem notícias generalistas, uma especificidade no mundo desenvolvido. Trata-se de uma original mistura entre comentário político e espaço noticioso. Foquemos o caso mais saliente dos dias que correm para tentar perceber a razão dessa peculiaridade nacional. A conclusão é que ela não decorre da ignorância das audiências, da falta de especialistas sobre os temas comentados, ou da inexistência de jornalistas capazes. A principal razão é que este tipo de comentário serve acima de tudo uma forma de fazer política.