Estudo divulga milhares de "particularidades linguísticas" das zonas raianas

A universidade espanhola de Alcalá revelou hoje que nos próximos meses serão divulgados milhares de registos com "particularidades linguísticas" de um trabalho de vários anos feito na faixa fronteiriça entre Espanha e Portugal.

O objetivo do projeto "Fronteira hispano-portuguesa: documentação linguística e bibliográfica" (Frontespo) é fazer a "documentação linguística exaustiva" da zona fronteiriça entre Espanha e Portugal.

Segundo Xosé Afonso Álvarez Pérez, investigador principal na Universidade de Alcalá, que lidera a realização do estudo, a generalização da alfabetização, a escolaridade obrigatória, os meios de comunicação de massas, entre outros, "estão a diluir as particularidades linguísticas" da raia.

Daí a importância do projeto que, desde 2015, já permitiu disponibilizar 1500 registos de tema essencialmente linguístico e "nos próximos meses" irá colocar à disposição de todos "cinco mil fichas de outros âmbitos temáticos".

Segundo os técnicos envolvidos no projeto, "torna-se urgente recolher informação sobre o território fronteiriço, para documentar o estado de vida tradicional e estudar o processo de mudança, assim como para valorizar o seu imenso património cultural, com o fim último de contribuir para a sua revitalização".

O FRONTESPO estudou as particularidades linguísticas das populações da fronteira entre Portugal e Espanha, "um dos limites estatais mais antigos e estáveis da história", que se constituiu ao longo do tempo como "um espaço de encontro e confluência de variedades linguísticas".

O estudo inclui um 'corpus oral' com 300 horas de gravações; um "tesouro léxico" com vários milhares de palavras e expressões particulares registados nas zonas da raia; e uma bibliografia da fronteira, que tenta recolher estudos linguísticos, culturais e históricos sobre essas comunidades.

O projeto financiado pelo Governo espanhol conta com a colaboração de investigadores universitários portugueses e espanhóis e também do Centro Interdisciplinar de Documentação Linguística e Social, português.

Exclusivos

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Uma opinião sustentável

De um ponto de vista global e a nível histórico, poucos conceitos têm sido tão úteis e operativos como o do desenvolvimento sustentável. Trouxe-nos a noção do sistémico, no sentido em que cimentou a ideia de que as ações, individuais ou em grupo, têm reflexo no conjunto de todos. Semeou também a consciência do "sustentável" como algo capaz de suprir as necessidades do presente sem comprometer o futuro do planeta. Na sequência, surgiu também o pressuposto de que a diversidade cultural é tão importante como a biodiversidade e, hoje, a pobreza no mundo, a inclusão, a demografia e a migração entram na ordem do dia da discussão mundial.