Efacec ganha projeto de 47 ME para construção de metro na Dinamarca

A Efacec ganhou um projeto internacional para a construção do metro de Odense, na Dinamarca, e vai desenvolver toda a parte eletromecânica, um negócio que vale cerca de 47 milhões de euros para a empresa portuguesa.

O projeto será desenvolvido juntamente com a COMSA e com a MUNCK e, para a Efacec, o valor do negócio é de aproximadamente 47 milhões de euros, "o que reflete a dimensão e a integração de soluções que serão prestadas pela empresa", informou hoje a empresa, em comunicado.

O metro de Odense terá 14 quilómetros de linha, 26 estações de superfície, um centro de comando, 14 veículos e 51 cruzamentos, segundo a Efacec, acrescentando que serão transportados diariamente 35.000 passageiros a partir de 2020, ano em que ficará operacional.

A Efacec refere ainda que, até ao momento, "este é o projeto de metro ligeiro que integra um maior número de serviços e valências" da empresa, já que ficará com responsabilidade relativamente às subestações de tração, à catenária, à sinalização, às comunicações, à informação ao público, à videovigilância, à telefonia, à localização de veículos e gestão de frota e ao centro de controlo.

A Efacec é uma empresa portuguesa que opera nas áreas da transmissão e distribuição de energia e dos sistemas integrados nos setores da energia, ambiente, indústria e transportes ferroviários, desenvolvendo soluções de carregamento de energia para a mobilidade elétrica.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?

Premium

arménios na síria

Escapar à Síria para voltar à Arménia de onde os avós fugiram

Em 1915, no Império Otomano, tiveram início os acontecimentos que ficariam conhecidos como o genocídio arménio. Ainda hoje as duas nações continuam de costas voltadas, em grande parte porque a Turquia não reconhece que tenha havido uma matança sistemática. Muitas famílias procuraram então refúgio na Síria. Agora, devido à guerra civil que começou em 2011, os netos daqueles que fugiram voltam a deixar tudo para trás.