Distrito de Portalegre tem falta de 150 enfermeiros - Sindicato

O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) defendeu hoje a "necessidade urgente" de contratação de enfermeiros para a Unidade Local de Saúde do Norte Alentejano (ULSNA), alertando que faltam "cerca de 150" profissionais desta área.

"Faltam nos hospitais de Portalegre e de Elvas e nos centros de saúde do distrito de Portalegre cerca de 150 enfermeiros", disse Celso Silva, da direção nacional do SEP, num encontro com jornalistas à porta da unidade hospitalar da cidade raiana de Elvas.

Justificando o número 150 enfermeiros em falta com a "aplicação das formas de cálculo da Ordem dos Enfermeiros para as dotações seguras", o sindicalista indicou que o SEP já alertou a administração da ULSNA para situações de "quase rotura" em diversas valências, como a ortopedia em Elvas ou os serviços paliativos no hospital de Portalegre.

"Isto já para não falar das questões que veem, por vezes, para a praça pública relacionadas com os serviços de urgências", acrescentou.

Apesar dos "alertas" já feitos junto do conselho de administração, segundo Celso Silva, a ULSNA "nada tem feito" para inverter a situação.

"O exemplo mais paradigmático é o último concurso para a admissão de enfermeiros, que foi aberto no início de novembro, e, chegados à data de hoje, passaram três meses e meio, e esse concurso, para 25 vagas, ainda não está concluído", disse.

O SEP lamentou, ainda, que o norte alentejano esteja "um pouco esquecido" pelo Estado, em particular no que diz respeito ao setor da saúde, o que justifica a "necessidade" de se dar um "alerta público" para a situação.

"Consideramos que hoje era chegado o momento de dar um alerta público, com esperança que chegue também ao conselho de administração da ULSNA e ao Ministério da Saúde", disse.

A Lusa tentou obter uma reação da administração da ULSNA às denúncias do sindicato sobre a falta de enfermeiros, mas o porta-voz da unidade, Ilídio Pinto Cardoso, informou que os responsáveis não vão fazer quaisquer comentários.

A ULSNA gere os hospitais de Portalegre e Elvas e os 16 centros de saúde existentes nos 15 concelhos que compõem o distrito de Portalegre.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

Compreender Marques Mendes

Em Portugal, há recorrentemente espaço televisivo para políticos no activo comentarem notícias generalistas, uma especificidade no mundo desenvolvido. Trata-se de uma original mistura entre comentário político e espaço noticioso. Foquemos o caso mais saliente dos dias que correm para tentar perceber a razão dessa peculiaridade nacional. A conclusão é que ela não decorre da ignorância das audiências, da falta de especialistas sobre os temas comentados, ou da inexistência de jornalistas capazes. A principal razão é que este tipo de comentário serve acima de tudo uma forma de fazer política.