Criatividade e inovação na escola em debate na Gulbenkian

A criatividade e a inovação, assim como o impacto das novas tecnologias e as novas formas de pensar o ensino, vão estar em debate na Conferência Internacional de Educação que a Fundação Calouste Gulbenkian organiza na segunda-feira em Lisboa.

A conferência "Inovação: na escola e pela escola", dirigida a educadores, professores, investigadores, alunos e cidadãos em geral, tem como objetivo, segundo a fundação, abordar a relação critica entre as ciências e as artes e terá como principais oradores a antiga diretora da Boston Arts Academy, Linda Nathan, e Vijay Kumar, especialista do MIT em inovação tecnológica sustentável na educação.

Em declarações à agência Lusa, Guilherme de Oliveira Martins, administrador executivo da Gulbenkian, explicou que a fundação pretende com estas conferências anuais de educação estar sempre um passo à frente relativamente aos temas do dia-a-dia tendo entendido este ano apostar nesta ligação entre a inovação e a aprendizagem.

"A inovação e a aprendizagem são elementos fundamentais para o desenvolvimento humano. O processo de inovação de um artista plástico, de um poeta, de um romancista, é um processo semelhante ao de um cientista que descobre um tratamento novo, uma via nova para responder a problemas perante os quais nos encontramos", disse.

Para ilustrar esta ideia de ligação entre as várias áreas na construção da aprendizagem humana, Guilherme de Oliveira Martins, que já desempenhou o cargo de ministro da Educação, referiu como exemplo o ensino da leitura.

"Quando ensinamos a ler estamos sempre a contribuir para a afirmação da vitalidade da sociedade. Ao ler lemos um poema e com isso desenvolvemos a nossa sensibilidade, mas lemos também a bula de um medicamento e quer um quer outro permite salvar vidas", disse.

Para Guilherme de Oliveira Martins, os países de maior desenvolvimento humano são sempre os que mais valorizam a aprendizagem e esse desenvolvimento humano envolve todos estes campos, arte, ciência, inovação e educação.

A inteligência emocional e a importância da educação artística serão temas tratados por Linda Nathan, da Harvard University e antiga diretora da Boston Arts Academy.

O impacto das novas tecnologias, onde se incluem a inteligência artificial e a robótica, o uso da internet no ensino, a mudança tecnológica nas políticas públicas da Educação e o aparecimento de conceitos como "aprendizagem flexível" serão temas tratados por Vijay Kumar, especialista do MIT.

O papel das Artes na Educação será discutido com Maria Helena Rodrigues, coordenadora dos projetos Opus Tutti e GerminArte, que promovem o sucesso educativo através da arte, com Ana Pereira Caldas, antiga presidente da Escola de Dança do Conservatório e coordenadora do projeto Educação Artística para um Currículo de Excelência, e com Manuela Encarnação, presidente da Associação Portuguesa de Educação Musical e coordenadora do projeto Cantar Mais -- Mundos com voz.

Nesta conferência participam ainda o professor, médico e cientista Manuel Sobrinho Simões, o presidente do Instituto Superior Técnico da Universidade de Lisboa (IST) Arlindo Oliveira, e o professor catedrático do IST e investigador do Instituto de Telecomunicações Mário Figueiredo.

Exclusivos