Contributo da Europa do Sul "importante" para renovação da UE - líder da CCDR-N

O presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), Fernando Freire de Sousa, defendeu hoje que a Europa do Sul "pode dar contributos importantes no sentido da renovação esperada da União Europeia dos próximos anos".

Freire de Sousa foi um dos intervenientes na sessão de abertura da Conferência Internacional EDULOG 2017, que durante dois dias vai debater, na Porto Business School, em Matosinhos, o desenvolvimento económico nas regiões do sul da Europa.

"No contexto da Europa, a Europa do Sul é um subproblema ou, se quisermos ver a coisa pelo copo meio cheio, pode dar contributos importantes no sentido da renovação esperada daquilo que é a União Europeia dos próximos anos. O que estamos aqui a fazer é a chamar a atenção para isso", disse.

O presidente da CCDR-N defendeu também que "só conseguimos pensar a região ou pensar o país ou agir sobre a região ou sobre o país, se tivermos um conhecimento mais profundo e mais criterioso sobre aquilo que o ou a caracteriza, é importante que os diagnósticos sejam melhorados, não há transformação sem conhecimento".

De acordo com Freire de Sousa, "tudo quanto contribua para uma reflexão e para uma fundamentação do nosso conhecimento ajuda-nos a transformar e é nesse sentido que é muito importante percebermos aquilo que nos caracteriza e aquilo que nos envolve".

"Estamos a falar de políticas regionais de ensino superior e da importância que tem tudo o que diz respeito aos recursos humanos em geral e, sobretudo, aos que são de nível mais elevado", sublinhou.

Em seu entender, "o modelo de desenvolvimento do país só será virtuoso se for um modelo assente no conhecimento".

"Por outro lado, estamos a falar de uma Europa, com as características que tem, cheia de contradições e de problemas", disse.

Durante dois dias um grupo de académicos e especialistas irá debater, analisar, refletir e definir recomendações para que estas regiões possam alcançar os níveis de rendimento e de produtividade do resto da União Europeia.

André Rodriguez-Pose, da London School of Economics, John Edwards, da Joint Research Centre, Ugo Fratesi do Politécnico de Milão, e Joaquim Oliveira Martins, da Divisão de Política e Desenvolvimento Regional da OCDE, são alguns dos oradores convidados que se propõem a realizar "um debate normativo e sempre focado na avaliação do sucesso de políticas aplicadas nas regiões dos quatro países do sul da Europa -- Grécia, Itália, Espanha e Portugal".

O programa da conferência inclui apresentações sobre a interação entre as políticas regionais, nacionais e europeias, com uma componente prospetiva de política, centrada na ligação entre o capital humano, o ensino superior, a inovação e o desenvolvimento regional, assim como apresentações sobre projetos em curso no âmbito das "Smart Specialisation Strategies".

Do programa destaca-se ainda o "Debate Nacional" que, sexta-feira, irá encerrar a conferência e fará uma "Análise Aprofundada do Contexto Socioeconómico Português, Cenários Prospetivos e o Papel do Capital Humano e da Educação". O debate contará com a participação do economista Daniel Bessa, Elisa Ferreira, do Banco de Portugal, José Varejão, da Universidade do Porto, Ester Silva, da CCDR-N, e Pedro Teixeira, da Universidade do Porto.

É o segundo ano consecutivo que o EDULOG, 'think tank' da educação, da Fundação Belmiro de Azevedo, organiza a Conferência Internacional. O tema deste ano foi escolhido tendo em conta os diversos fatores que têm contribuído para "a falta de convergência nas regiões do Sul da Europa, nomeadamente ao nível do capital humano, das instituições, da acessibilidade, do investimento privado e da implementação deficiente de políticas e projetos de desenvolvimento regional", refere a organização.

Ler mais

Exclusivos