COMENTÁRIO: Leixões derrota Académico de Viseu a salta para a 3.ª fase da Taça da Liga

Matosinhos, Porto 23 jul (Lusa) - O Leixões apurou-se hoje para a terceira fase da Taça da Liga em futebol, após derrotar o Académico de Viseu por 2-0 em jogo da primeira fase, beneficiando de ter ficado isento na segunda.

Kukula, ao sexto minuto, abriu o marcador para a equipa da casa, após o que Breitner (23) fixou o resultado da partida.

Numa equipa com nove reforços e apenas Jorge Silva e João Lucas, da época passada, de início, o segundo tornou-se na figura da primeira parte, saindo dos seus pés as assistências para os dois golos dos locais.

Primeiro quando assistiu Kukula, num remate cruzado ao poste mais afastado, e mais tarde fez o cruzamento que a defesa forasteira deixou passar para a conclusão de Breiner, também num pontapé cruzado.

A segunda parte começou com o Académico a meter velocidade no jogo e a pressionar alto, mas foi do Leixões, num remate na passada de Evandro Brandão (56) a que Peçanha correspondeu com um desvio felino, o primeiro lance de perigo.

Bary, em cima do minuto final, perdeu o golo de consolação dos visitantes, enquanto o Leixões, isento na segunda fase, alcançou com este triunfo a fase de grupos da prova.

Jogo no Estádio do Mar, em Matosinhos.

Leixões - Académico de Viseu, 2-0.

Ao intervalo: 2-0.

Marcadores:

1-0, Kukula, 06 minutos.

2-0, Breitner, 23.

Equipas:

- Leixões: André Ferreira, Jorge Silva, Jaime, Ricardo Alves, João Lucas, Stephen, Luís Silva, Breitner (Derick, 86), Kukula (Amine, 71), Evandro Brandão e Ricardo Barros (Okitokandjo, 79).

(Suplentes: Jet, Karim, Matheus, Derick, Telmo Castanheira, Amine e Okitokandjo).

Treinador: Daniel Kenedy.

- Académico de Viseu: Peçanha, Tomé (Sandro Lima, 46), Bura, Bruno Sousa (Rui Miguel, 74), Joel, Fábio Santos, Fernando Ferreira, Paná, Yuri, João Mário (Moses, 32) e Barry.

(Suplentes: Jonas, Rui Miguel, Bruno Loureiro, Moses, Pica, Zé Pedro e Sandro Lima).

Treinador: Francisco Chaló.

Árbitro: Fábio Piló (AF Leiria).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Jaime (47), Stephen (66) e Joel (84).

Assistência: cerca de 600 espetadores.

.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.