Catalunha: 'Dossiê Puigdemont' pertence à justiça - Comissão Europeia

A Comissão Europeia reiterou hoje que a crise na Catalunha é "um dossiê que apenas diz respeito às autoridades judiciais".

Questionada durante a habitual conferência de imprensa diária da Comissão Europeia, uma porta-voz respondeu que "é um dossiê que apenas diz respeito às autoridades judiciais, cuja independência respeitamos completamente".

O presidente do governo destituído da Catalunha, Carles Puigdemont, está na Bélgica desde segunda-feira, acompanhado por alguns dos seus conselheiros, tendo adiantado que só regressa ao seu país quando considerar haver condições para tal, nomeadamente de "independência da justiça".

A justiça espanhola poderá emitir ainda hoje um mandado de captura europeu, pedindo às autoridades belgas que entreguem Puigdemont.

Desde o início da crise catalã que a Comissão Europeia sustenta tratar-se de um assunto interno de Espanha.

O parlamento regional da Catalunha aprovou na passada sexta-feira a independência daquela região de Espanha, numa votação sem a presença da oposição, que abandonou a assembleia regional e deixou bandeiras espanholas nos lugares que ocupava.

No mesmo dia, o executivo espanhol, liderado por Mariano Rajoy, do Partido Popular (direita), apoiado pelo maior partido da oposição, os socialistas do PSOE, anunciou a dissolução do parlamento regional, a realização de eleições em 21 de dezembro próximo e a destituição de todo o governo catalão, entre outras medidas.

Foi na sequência destes acontecimentos que o presidente destituído do governo da Catalunha, Carles Puigdemont, e alguns dos seus conselheiros [membros do executivo regional destituído] viajaram para Bruxelas, onde se encontram.

Exclusivos

Premium

Crónica de Televisão

Os índices dos níveis da cadência da normalidade

À medida que o primeiro dia da crise energética se aproximava, várias dúvidas assaltavam o espírito de todos os portugueses. Os canais de notícias continuariam a ter meios para fazer directos em estações de serviço semidesertas? Os circuitos de distribuição de vox pop seriam afectados? A língua portuguesa resistiria ao ataque concertado de dezenas de repórteres exaustos - a misturar metáforas, mutilar lugares-comuns ou a começar cada frase com a palavra "efectivamente"?

Premium

Margarida Balseiro Lopes

O voluntariado

A voracidade das transformações que as sociedades têm sofrido nos últimos anos exigiu ao legislador que as fosse acompanhando por via de várias alterações profundas à respetiva legislação. Mas há áreas e matérias em que o legislador não o fez e o respetivo enquadramento legal está manifestamente desfasado da realidade atual. Uma dessas áreas é a do voluntariado. A lei publicada em 1998 é a mesma ao longo destes 20 anos, estando assim obsoleta perante a realidade atual.