Bloco de Esquerda questiona Governo e Câmara de Loures sobre bairro da Torre

O Bloco de Esquerda questionou hoje o Governo sobre as condições precárias em que mais de duas centenas de pessoas continuam a viver no bairro da Torre, em Loures, onde no domingo um incêndio destruiu algumas habitações.

Um incêndio que deflagrou no domingo no bairro da Torre, na localidade de Camarate, concelho de Loures (distrito de Lisboa) deixou desalojados mais de uma dezena de moradores, que viviam em habitações abarracadas.

Na sequência deste incidente, o Bloco de Esquerda (BE) questionou esta tarde o Governo, através de questões colocadas ao ministério da Economia e ao ministério do Ambiente, e a Câmara Municipal de Loures sobre as medidas previstas por estas entidades para solucionar o problema habitacional de todos os moradores do bairro.

Nas quatro questões endereçadas ao ministério do Ambiente, os bloquistas questionam a tutela sobre as medidas que "têm sido tomadas para dar seguimento ao processo de realojamento urgente das famílias que ainda residem no bairro" e se existe "algum projeto de habitação pública que substitua as atuais habitações precárias existentes no bairro da Torre".

No entanto, os bloquistas ressalvam que "independentemente do futuro realojamento destas famílias, é no imediato que se tem de oferecer uma solução para que haja eletricidade e outros bens essenciais", nomeadamente água e saneamento.

Nesse sentido, questionam o ministério da Economia sobre as medidas que estão previstas para assegurar que os moradores possam ter acesso aos serviços de eletricidade, água e saneamento.

Além de questionar o Governo, os bloquistas questionam também a Câmara Municipal de Loures sobre a demora na instalação de balneários públicos, que estão previstos para o bairro, e sobre as dificuldades na remoção do entulho e do lixo que ali se encontra depositado.

Esta tarde, em declarações à agência Lusa, o presidente da Câmara Municipal de Loures, Bernardino Soares, lamentou o incêndio e instou o Governo a intervir na procura de uma solução definitiva para todos os moradores, sublinhando que "a autarquia não tem capacidade para resolver o problema sozinha".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

OE 2019 e "o último orçamento que acabei de apresentar"

"Menos défice, mais poupança, menos dívida", foi assim que Mário Centeno, ministro das Finanças, anunciou o Orçamento do Estado para 2019. Em jeito de slogan, destacou os temas que mais votos poderão dar ao governo nas eleições legislativas, que vão decorrer no próximo ano. Não é todos os anos que uma conferência de imprensa no Ministério das Finanças, por ocasião do orçamento da nação, começa logo pelos temas do emprego ou dos incentivos ao regresso dos emigrantes. São assuntos que mexem com as vidas das famílias e são temas em que o executivo tem cartas para deitar na mesa.

Premium

nuno camarneiro

Males por bem

Em 2012 uma tempestade atingiu Portugal, eu, que morava na praia da Barra, fiquei sem luz nem água e durante dois dias acompanhei o senhor Clemente (reformado, anjo-da-guarda e dançarino de salão) fixando telhados com sacos de areia, trancando janelas de apartamentos de férias e prendendo os contentores para que não abalroassem automóveis na via pública. Há dois anos, o prédio onde moro sofreu um entupimento do sistema de saneamento e pude assistir ao inferno sético que lentamente me invadiu o pátio e os pesadelos. Os moradores vieram em meu socorro e em pouco tempo (e muito dinheiro) lá conseguimos que um piquete de canalizadores nos exorcizasse de todo mal.