Avançado neozelandês Tyler Boyd emprestado ao Tondela

O avançado neozelandês Tyler Boyd vai vestir a camisola do Tondela na próxima temporada, depois de ter sido cedido a título de empréstimo pelo Vitória de Guimarães, anunciou hoje o clube beirão, da I Liga de futebol.

No dia em que o Tondela começou a preparar a próxima temporada, com a realização de exames médicos no Hospital CUF Viseu, os beirões fizeram saber, através da página oficial na rede social Facebook, que o atleta de 22 anos será cedido a título de empréstimo durante uma época.

Esta manhã os auriverdes anunciaram Pedro Nuno, também ele a título de empréstimo, neste caso do SL Benfica.

Nos últimos dias, o Tondela reforçou-se com Mateusz Zachara, Nick Ansell, Ricardo Costa, João Vasco, Tembeng e Joãozinho, contratou David Bruno e Pité ao FC Porto e renovou ainda com Helder Tavares, Cláudio Ramos e Bruno Monteiro, que se juntam aos restantes elementos do plantel com contrato.

Ricardo Janota, Rafael Amorim, Ruca, Osorio, Claude Gonçalves, Dylan Flores, Wagner, Miguel Cardoso e Heliardo são os futebolistas que transitam da última temporada.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.

Premium

Opinião

Angola, o renascimento de uma nação

A guerra do Kosovo foi das raras seguras para os jornalistas. Os do poder, os kosovares sérvios, não queriam acirrar ainda mais a má vontade insana que a outra Europa e a América tinham contra eles, e os rebeldes, os kosovares muçulmanos, viam nas notícias internacionais o seu abono de família. Um dia, 1998, 1999, não sei ao certo, eu e o fotógrafo Luís Vasconcelos íamos de carro por um vale ladeado, à direita, por colinas - de Mitrovica para Pec, perto da fronteira com o Montenegro. E foi então que vi a esteira de sucessivos fumos, adiantados a nós, numa estrada paralela que parecia haver nas colinas.