Autárquicas: CDS candidata Maria Amélia Magalhães à Câmara de Pedrógão Grande

A cuidadora de idosos Maria Amélia Magalhães é a cabeça de lista da candidatura do CDS à Câmara Municipal de Pedrógão Grande, informou a distrital de Leiria do partido.

"A candidatura é uma forma de mostrar a força que o partido terá em Pedrógão", disse à agência Lusa o presidente da distrital do CDS, Manuel Isaac, considerando que será difícil eleger um vereador face à "fraca implantação" do partido no concelho.

No entanto, "essa decisão está nas mãos dos eleitores de Pedrógão Grande", frisou Manuel Isaac, referindo que a eleição de um mandato na Assembleia Municipal "já seria um bom resultado".

É preciso recuar até 1985 para se encontrar uma candidatura própria do CDS no concelho do interior norte do distrito de Leiria.

Para além de Maria Amélia Magalhães, também se candidatam à Câmara de Pedrógão Grande o atual presidente da Câmara, Valdemar Alves, eleito pelo PSD, mas que concorre pelo PS, o ex-líder da autarquia, João Marques, pelos sociais-democratas, e Rui Baltasar Matias, pela CDU.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Viriato Soromenho Marques

Quem ameaça a União Europeia?

Em 2017, os gastos com a defesa nos países da União Europeia tiveram um aumento superior a 3% relativamente ao ano anterior. Mesmo em 2016, os gastos militares da UE totalizaram 200 mil milhões de euros (1,3% do PIB, ou o dobro do investimento em proteção ambiental). Em termos comparativos, e deixando de lado os EUA - que são de um outro planeta em matéria de defesa (o gasto dos EUA é superior à soma da despesa dos sete países que se lhe seguem) -, a despesa da UE em 2016 foi superior à da China (189 mil milhões de euros) e mais de três vezes a despesa da Rússia (60 mil milhões, valor, aliás, que em 2017 caiu 20%). O que significa então todo este alarido com a necessidade de aumentar o esforço na defesa europeia?