Autárquicas: Candidatura de Álvaro Almeida (PSD/PPM) ao Porto congratula Moreira

A candidatura de Álvaro Almeida (PSD/PPM) ao Porto congratulou já Rui Moreira pelo resultado nas eleições desta noite, tendo o mandatário António Tavares assinalado que "uma parte do eleitorado" não acreditou na proposta do partido.

"O dr. Álvaro Almeida já endereçou os parabéns a Rui Moreira, que as sondagens indicam que será o futuro presidente da Câmara Municipal do Porto", afirmou pouco depois das 20:30 o mandatário da candidatura, acompanhado pelo diretor de campanha Pedro Sampaio.

Numa altura em que as projeções apontam para um intervalo entre os 8% e os 11% dos votos para o movimento "Porto Autêntico", o mais baixo de sempre do partido na cidade, o mandatário afirmou que "o PSD compreendeu também, neste momento, aquilo que parecem ser os resultados e a atitude do seu próprio eleitorado".

"Há uma parte do nosso eleitorado [que] infelizmente não acreditou na nossa proposta política. Vamos esperar. Cerca das 21:30, Álvaro Almeida fará uma declaração", disse.

Referiu ainda que "tudo indica" que a abstenção baixou, o que "é um bom sinal, um sinal de que o sistema democrático e a participação dos cidadãos foi muto importante para esse resultado".

"As pessoas mobilizaram-se, foram às urnas e isso para o PSD é um sinal que deve ser devidamente realçado", referiu.

Álvaro Almeida aguarda desde as 18:30 pelos resultados no hotel Crowne Plaza, na Avenida da Boavista, no Porto, onde também está a assistir ao jogo Sporting-FC Porto, numa 'suite' do 13.º andar.

Para as primeiras declarações da noite, António Tavares e Pedro Sampaio desceram, cerca das 20:30, à sala onde se encontram os jornalistas e cerca de meia centena de apoiantes, que receberam em silêncio as primeiras projeções e que também assistem ao jogo de futebol.

Nas últimas autárquicas, em 2013, o PSD, em coligação com o PPM e o MPT, conseguiu 21,06% dos votos, elegendo três vereadores. Derrotado saiu então o ex-presidente da Câmara de Vila Nova de Gaia e candidato ao Porto Luís Filipe Menezes que, durante a campanha, viu os históricos do partido dirigirem o seu apoio para o independente Rui Moreira que viria a vencer.

O ex-presidente da Câmara do Porto Rui Rio, que conquistou para o PSD (com CDS) resultados acima dos 40% nos seus três mandatos, foi mesmo um dos grandes críticos da escolha então feita pelo partido, tendo mesmo dito que iria "destruir tudo o que foi feito" na cidade.

Na passada quinta-feira, Álvaro Almeida informou que, caso não vencesse, iria ficar como vereador sem pelouro e garantiu que o PSD não será um partido que impeça a governabilidade da Câmara do Porto.

Concorreram à Câmara do Porto o independente Rui Moreira, apoiado pelo CDS-PP e MPT, o socialista Manuel Pizarro, Álvaro Almeida, pela coligação PSD/PPM, Ilda Figueiredo, da CDU, João Teixeira Lopes, do BE, Bebiana Cunha, do PAN, Costa Pereira, do PTP, Sandra Martins, do PNR e Orlando Cruz, do PPV/CDC.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.