Alunos de secundária de Viseu passam cem dias sem garrafas de plástico

Cem alunos da Escola Secundária Alves Martins, de Viseu, aceitaram o desafio de, durante cem dias, não usarem garrafas de plástico, de forma a contribuírem para a diminuição da quantidade deste material que chega aos oceanos.

Desde o dia 19 que os cem alunos (de várias turmas do 12.º ano de escolaridade e de uma turma do 10.º ano) carregam diariamente o seu cantil azul, que receberam depois de terem assinado a declaração de compromisso "Cem dias sem plásticos".

"Quando lhes falei pela primeira vez na possibilidade de usarem um cantil, estavam um bocadinho desconfiados. Agora, noto que andam todos vaidosos com o cantil. Chegam à sala de aulas e põem-no em cima da mesa", contou à agência Lusa Fátima Pinho, professora de Biologia e Geologia que desenvolve o projeto juntamente com as docentes Alda Nabais (de Química e Física) e Graça Pinto Pereira (de Inglês e Alemão).

A secundária Alves Martins é uma das seis escolas-piloto nacionais do projeto europeu EduCO2cean, cofundado pelo programa ERASMUS+, que envolve vários países e que é coordenado, a nível nacional, pela Associação Portuguesa de Educação Ambiental. O principal objetivo é sensibilizar para a proteção dos oceanos.

Fátima Pinho contou que os alunos abastecem os seus cantis em distribuidores de água colocados na escola. O projeto já é considerado um sucesso, estando a ser equacionado entregarem mais cantis, porque "há alunos que também querem aderir".

"A ideia é alargar o projeto à escola toda no próximo ano letivo", frisou, considerando que, como já muitos professores e alunos têm demonstrado interesse, isso acontecerá naturalmente.

A docente contou que, até 29 de maio, serão realizadas várias iniciativas - como palestras, ações de sensibilização, infografias e curtas-metragens - que alertam para o problema da acumulação de plásticos nos oceanos.

"Os alunos vão ter que fazer uma estimativa do quanto estão a evitar que vá para os oceanos. Fazem a estimativa para eles os cem, depois para a escola toda, depois para três escolas do concelho e por aí adiante", explicou.

Os resultados serão apresentados numa cerimónia a realizar no final de maio.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?

Premium

arménios na síria

Escapar à Síria para voltar à Arménia de onde os avós fugiram

Em 1915, no Império Otomano, tiveram início os acontecimentos que ficariam conhecidos como o genocídio arménio. Ainda hoje as duas nações continuam de costas voltadas, em grande parte porque a Turquia não reconhece que tenha havido uma matança sistemática. Muitas famílias procuraram então refúgio na Síria. Agora, devido à guerra civil que começou em 2011, os netos daqueles que fugiram voltam a deixar tudo para trás.