Guiné Equatorial considera haver "falta de definição clara" na cooperação com São Tomé

O ministro de Estado e da Integração da Guiné Equatorial, Baltazar Edjo, disse hoje em São Tomé que a "falta de uma definição clara" pode dificultar o desenvolvimento da cooperação em várias áreas com São Tomé e Príncipe.

"Há muitos setores em que São Tomé e Príncipe e Guiné Equatorial podem cooperar perfeitamente, mas falta uma definição clara", disse Baltazar Edjo a jornalistas à saída de uma audiência com o Presidente são-tomense, Evaristo Carvalho.

O ministro de Estado e da Integração da Guiné Equatorial deslocou-se à capital são-tomense na qualidade de enviado especial do Presidente Obiang Nguema para entregar uma mensagem ao homólogo são-tomense.

"O reforço da cooperação entre os dois países depende da vontade política dos dois Estados", acrescentou, sublinhando que a mensagem de que é portador refere-se a necessidade de os dois presidentes concertarem "ações quer seja a nível bilateral, quer seja no espaço comunitário", como são os casos da Comissão do Golfo da Guiné e da Comunidade Económica dos Estados da África Central (CEEAC), de que os dois países são membros.

O governante equato-guineense referiu que "há um forte interesse" dos dois países na consolidação da cooperação bilateral, salientando que o setor de transporte aéreo como "um dos mais promissores".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG