Governo atribui este ano oito milhões de euros a programa de turismo sénior

O Governo quer combater a exclusão social com um programa de turismo sénior ao qual atribui este ano oito milhões de euros e que o ministro do Trabalho, Vieira da Silva, apresenta hoje em Fornos de Algodres.

O programa INATEL 55+.PT é uma parceria dos ministérios da Economia e do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social com a Fundação Inatel e o Turismo de Portugal.

Destinada à população idosa, pessoas com deficiência ou carência económica, a iniciativa visa "disponibilizar atividades de lazer, associadas a ações integradas de apoio à cidadania e ao envelhecimento ativo, aproveitando as infraestruturas hoteleiras existentes, na época de baixa sazonalidade", entre setembro a maio, entre 2018 e 2020.

O INATEL 55+.pt inclui atividades turísticas, culturais, formativas e de convívio, traduzidas em viagens de média duração, segundo um comunicado do gabinete do ministro José António Vieira da Silva, que preside à sessão de lançamento, em Fornos de Algodres, distrito da Guarda, às 18:00.

Alguns dos objetivos do programa são a promoção do lazer e do envelhecimento ativo, além do combate ao isolamento e à exclusão social.

Com esta medida, o Governo pretende disponibilizar "atividades culturais, educacionais e de convívio, com caráter regular, dirigidas a indivíduos em situação de exclusão social, numa lógica de democratização no acesso a atividades de turismo e lazer".

Outros objetivos são a "preservação e dinamização do património cultural das comunidades", a difusão do "conceito de envelhecimento saudável, feliz e ativo" e o fomento da "atividade económica nos territórios de baixa densidade" demográfica, de acordo com a mesma nota.

Trata-se de um contributo para "a inclusão dos cidadãos com 55 ou mais anos, preferencialmente o segmento com mais carências de rendimento e em risco de exclusão social".

São proporcionados alojamento e atividades culturais, educacionais, de cidadania e de convívio aos cidadãos envolvidos.

É dada prioridade aos candidatos com baixos rendimentos, designadamente portugueses, estrangeiros residentes em Portugal (nacionais de países terceiros, comunitários, refugiados ou asilados), lusodescendentes e pessoas que usufruam de sistemas de acolhimento e asilo com 55 ou mais anos, residentes no território nacional continental.

O programa de turismo sénior decorrerá em hotéis da rede INATEL (25%) e privados (75%).

Exclusivos