Fogo de artifício sem drones no "Senhor de Matosinhos" por falta de autorização

O espetáculo pirotécnico da romaria do Senhor de Matosinhos vai ser feito no sábado sem fogo de artifício a partir de quatro drones, como anunciado, porque o uso daqueles objetos voadores foi proibido pela PSP, divulgou hoje a autarquia.

Em comunicado, a Câmara de Matosinhos observa que os drones estão "licenciados pela Autoridade Nacional de Aviação Civil e foram testados", mas "as autoridades competentes para o licenciamento do espetáculo entenderam não autorizar o lançamento de fogo de artifício a partir destas bases móveis, porque a legislação ainda não está a par desta possibilidade tecnológica".

"A utilização daqueles objetos voadores não tripulados durante o fogo de artifício não foi autorizada pela PSP, por não existir ainda enquadramento legal que permita a operação de candelas instaladas em drones", justifica a autarquia.

Marcado para as 24:00 de sábado, o espetáculo pirotécnico das festas do Senhor de Matosinhos vai durante cerca de 20 minutos, combinando o lançamento de fogo de artifício "com um acompanhamento musical" que integra "composições clássicas e tradicionais".

A Câmara de Matosinhos refere que a romaria do Senhor de Matosinhos, que começou a 12 de maio e termina a 11 de junho, conta ainda com "um segundo momento de animação pirotécnica".

A iniciativa em causa é o "fogo-de-bonecos, único no país" e está marcada para terça-feira, dia de feriado municipal, descreve o município.

Esta animação "conta com um conjunto de dispositivos pirotécnicos que fazem mover pequenas figuras representativas das profissões tradicionais da região", acrescenta.

De acordo com a perspetiva do vereador da Cultura da autarquia, Fernando Rocha, no início de maio, a romaria deve receber, este ano, um milhão de visitantes.

As quatro semanas desta festividade com mais de 600 anos representam em 2017 um investimento de 250 mil euros, cuja comparticipação da câmara é de 30 mil euros.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG