Escolas de hotelaria levam a concurso receitas de pescado "pouco valorizado"

Escolas portuguesas de hotelaria levam a concurso, no âmbito do projeto SEAFOODTOMORROW, receitas "saudáveis e nutritivas" para crianças, grávidas e idosos à base de pescado que é "pouco valorizado", contou hoje o responsável pelo projeto.

"No âmbito da União Europeia percebemos que existe uma carência muito grande no consumo de pescado por parte de segmentos específicos da população como é o caso das grávidas, das crianças e dos idosos", começou por explicar à Lusa, António Marques, investigador do Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental (CIIMAR) e coordenador do projeto europeu SEAFOODTOMORROW.

O concurso, que se realiza na terça-feira, dia 11 de dezembro, na Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa, visa assim incentivar ao consumo de cavala, carapau e dourada de aquacultura, três espécies de pescado que, segundo o investigador, são "pouco valorizadas", mas que "tem uma qualidade nutricional excelente".

"Estas espécies, produzidas de forma sustentável, são muito pouco valorizadas pela população e pouco apreciadas pelos consumidores pela maneira que são colocadas no mercado", frisou.

As receitas levadas a concurso têm ainda de cumprir "determinados requisitos" como baixo teor de sal e teor de iodo adequado às três faixas etárias em questão: crianças, grávidas e idosos.

Segundo António Marques, a escolha destes três segmentos da população está principalmente relacionada com "os constrangimentos alimentares que tem".

"As crianças, principalmente, por causa da aparência e das espinhas. No caso das grávidas, há sempre uma barreira ao consumo de pescado porque o associam às toxinas e ao mercúrio, algo que ainda não foi desmitificado pelos médicos, e no caso dos idosos porque já não lhes apetece comer e ingerem poucos nutrientes", salientou.

A concurso os alunos da Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa, de Setúbal e do Estoril vão levar, no total, 18 receitas, das quais apenas vão ser selecionadas seis.

As seis receitas vencedoras vão competir num concurso europeu, juntamente com escolas de hotelaria da Bélgica, Espanha, França, Polónia e Suécia, e posteriormente vão ser divulgadas num livro eletrónico editado pelo projeto europeu SEAFOODTOMORROW.

O concurso realiza-se no âmbito do projeto europeu SEAFOODTOMORROW, uma iniciativa liderada pelo investigador António Marques, que tem como principal objetivo transpor as tecnologias, processos e produtos que foram "validados à escala laboratorial" para a indústria.

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Dos pobres também reza a história

Já era tempo de a humanidade começar a atuar sem ideias preconcebidas sobre como erradicar a pobreza. A atribuição do Prémio Nobel da Economia esta semana a Esther Duflo, ao seu marido Abhijit Vinaayak Banerjee e a Michael Kremer, pela sua abordagem para reduzir a pobreza global, parece indicar que estamos finalmente nesse caminho. Logo à partida, esta escolha reforça a noção de que a pobreza é mesmo um problema global e que deve ser assumido como tal. Em seguida, ilustra a validade do experimentalismo na abordagem que se quer cada vez mais científica às questões económico-sociais. Por último, pela análise que os laureados têm feito de questões específicas e precisas, temos a demonstração da importância das políticas económico-financeiras orientadas para as pessoas.